Impeachment e o Desenvolvimento de Jogos no Brasil. Por Pérsis Duaik, criador de Aritana

Texto originalmente postado no LinkedIn

No último domingo (13), tivemos o maior protesto nacional contra o governo Dilma Rousseff. Milhões de pessoas foram às ruas pedir o Impeachment da presidente. As imagens da Avenida Paulista são impressionantes e falam por si só.

Foto: Lula Marques/Agência PT

Para os mais afoitos, lamento dizer que este texto não busca julgar valor nem defender partidos. Vamos direto aos processos legais, sempre perguntando como isto afetará as nossas vidas. De acordo com o site Politize!, nós temos que:

O Impeachment é um processo político, votado por uma Casa Legislativa, que julga se uma pessoa com função pública cometeu um crime de responsabilidade política, ou então um crime comum. No caso do presidente, ele pode ser condenado por oito diferentes crimes de responsabilidade.

Em outras palavras, você pode impedir uma pessoa de exercer o poder através de duas ferramentas. A primeira é o tão conhecido voto. Se não votarmos em alguém, esta pessoa não será eleita. A segunda, ainda nas nossas mentes graças ao Collor, é o Impedimento. Neste momento você me pergunta: “Sou um desenvolvedor de jogos. O que eu tenho a ver com isso?”.

Você já notou quantas pessoas reclamam da representatividade do voto? Quantas pessoas consideram o ato inútil? Pois bem, entender o Impeachment é entender que a democracia é feita diariamente, não em apenas um dia. Não adianta pensar que a política se limita a escolher o seu candidato através do voto. Independentemente da pessoa que subir ao poder, ela será a sua representante. Cabe a cada um de nós acompanhar os políticos e, depois, cobrar as promessas feitas durante sua campanha. Cabe a nós acompanhar de perto o trabalho dos governantes e os reflexos de tais atos na nossa vida. Cabe, finalmente, a cada um de nós, exigir que o trabalho de cada um destes representantes transforme o Brasil em um país melhor.

Será que a indústria e o mercado de jogos no Brasil estão no caminho certo? Não está na hora de começarmos a dialogar com nossos representantes sobre o assunto? Impostos que nos classifiacam como jogos de azar ou dupla tributação em vendas para o exeterior são alguns bons exemplos de assuntos que devemos discutir.

Se mesmo o Impeachment pode ocorrer por diversas razões, imagina o que pode ser feito antes desta última instância. Você acha que fazer um jogo que renda milhões para o seu bolso é mais fácil do que realizar demandas para o seu governante? Até quando vamos fechar os olhos para a nossa realidade, imaginando como seria ficar rico vendendo jogos para os Estados Unidos independentemente da política brasileira?

Pérsis Duaik é criador do game Aritana e a Pena da Hárpia com seu irmão, Ricardo. É fundador da empresa Duaik Entretenimento em São Paulo, representante do programa ID@Xbox da Microsoft no Brasil e criador do Projeto WOC, de realidade virtual. Foi premiado por Phil Spencer, da divisão Xbox, por seu pioneirismo na Brasil Game Show 2015.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Negócios