5 indies brasileiros que valorizam os negros e sua história

Valorize os jogos que falam sobre a nossa real história

  • por em 17 de junho de 2020

Grupos com interesses sociais em comum e minorias começam a dar expressão às suas pautas por meio de ações diversas e estas manifestações chegam, também, por meio dos jogos digitais.

O Drops de Jogos selecionou cinco projetos de jogos – e um bônus – que mostram a força da comunidade negra no país e sua relevante história e legado.

Confira.

Dandara

Pense em um jogo em estilo ‘Metroidvania’ protagonizado por uma mulher negra, em luta pela liberdade, lutando contra opressores fardados, atirando flechas que lembram os armamentos indígenas.

Resumidamente, isto é Dandara, que conta ainda com uma mecânica agil, que renova a jogabilidade convencional dos jogos do gênero, além das belas imagens que compõem os cenários e fazem alusão à Arte Brasileira.

O projeto da desenvolvedora mineira Hat Hat House é um dos grandes marcos da indústria contemporânea de games no Brasil e mostra que há caminhos para se fazer bons jogos digitais para o mercado internacional sem abrir mão de nossa história e essência cultural.

O game está disponível para Nintendo Switch, Xbox One, PCs com sistemas Windows, MacOs e Linux, e dispositivos móveis para iOS e Android.

A versão Dandara: Trials of Fear Edition também pode ser jogada no PlayStation 4.

Angola Janga: Picada dos Sonhos

Baseado no livro Angola Janga: Uma História de Palmares, obra do escritor Marcelo D’salete, ganhador dos prêmios Grampo Ouro 2018, Jabuti 2018 e HQMIX 2018, em quatro categorias, o game apresenta elementos de puzzle em um cenário 2D em meio à fuga de escravos de um engenho, no Brasil Colonial.

O game retrata a cultura da escravidão no país e a jornada dos negros para os quilombos. O jogador deve ajudar os personagens Soares e Andala a encontrarem o caminho para o Quilombo de Palmares.

O estúdio Sue the Real, responsável pelo projeto, vem produzindo a obra de forma independente, sem recursos externos, com o apoio da comunidade e parceiros.

Uma versão de demonstração do game para PC Windows e Android pode ser baixada no site do estúdio.

A Nova Califórnia

A partir do conto homônimo do autor negro Lima Barreto, recheado de sarcasmo e uma crítica mordaz sobre a busca pela fórmula do ouro, os desenvolvedores do estúdio criaram o game, que reproduzir as situações hilárias e bizarras descritas na cidade de Tubiacanga, a Nova Califórnia do título.

Com elementos de ação e adventure, o game narra os feitos do conto a partir das impressões da população local, oferecendo conflitos éticos o morais que os jogadores devem resolver no universo do jogo.

A Nova Califórnia está disponível na loja virtual Steam por um valor inferior a dois cafezinhos.

Sociedade Nagô

Com história que gira em torno de uma sociedade secreta fictícia formada por africanos libertos da etnia que dá título ao jogo, Sociedade Nagô pretende trazer ao público atual a histórica Revolta dos Malês, levante de escravos muçulmanos em Salvador, na Bahia, em 1835.

O projeto do estúdio Strike Games, em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, do instituto Federal da Bahia, apresenta um formato híbrido, com missões a serem cumpridas na aventura digital e tarefas complementares, que precisam ser realizadas no mundo presencial para o entendimento completo da narrativa.

O game pode ser baixado em versões para dispositivos com sistema Android e PC com sistema Windows.

O Strike Games também lançou o jogo Revolta dos Búzios, point and click que narra um levante na cidade de Salvador contra a dominação Portuguesa, em 1798.

Jornada ao Quilombo

Em Jornada ao Quilombo, os jogadores interpretam descendentes de africanos que vieram ao Brasil na condição de escravidão durante o período colonial.

Utilizando formato similar aos RPGs não digitais, Jornada ao Quilombo oferece ao jogador elementos culturais como um guia protetor na forma dos Orixás, atributos como luta de Capoeira, Sabedoria, Espírito (Fé) e Resistência, e dados complementares para a montagem de personagens que viverão a aventura.

Jornada ao Quilombo está com a produção em análise para futuro lançamento, mas o autor sugere aos interessados no tema baixarem o minijogo Nova Ifé: projeto, também produzido por ele e que apresenta um contexto pós apocalíptico afrofuturista.

Game Bônus: Detona Babu!

Game casual para dispositivos móveis, no qual o jogador deve evitar que o protagonista, o ator Babu, recentemente participante do Big Brother Brasil, colida com os paredões durante a queda livre no scroller vertical.

Rafael Brago, o artista idealizador do projeto criou o jogo a partir de uma arte do ilustrador Bruno Okada, na qual Babu era retratado à semelhante do anti-herói da animação Detona Ralph.

O game está disponivel no site Construct.

LEIA MAIS – “Indústria de jogos é majoritariamente branca”: dev fala sobre preconceito no cenário

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments