Além de mudanças em FIFA 22, saiba as três últimas finais da Liga dos Campeões

Futebol

Quando a Liga dos Campeões desta temporada atinge seu clímax, ficamos com os quatro últimos clubes: Manchester City, Real Madrid, Liverpool e Villarreal. 180 minutos separam os semifinalistas de um lugar em Paris, e já podíamos ver a excitante perspectiva de uma final totalmente em inglês!

Para aqueles que procuram dicas de jogos de apostas online, é difícil olhar além de qualquer um dos times da Premier League nesta fase – e as coisas estão igualmente apertadas internamente também, com ambos os clubes se desfazendo para o título da liga.

Enquanto esperamos pela primeira partida da semifinal, vamos olhar para os três últimos encontros da Liga dos Campeões.

2021: Manchester City 0 x 1 Chelsea

A Liga dos Campeões continua sendo o único elogio a escapar de Pep Guardiola desde que ele chegou ao Etihad, e a cidade não poderia ter ficado muito mais perto na última temporada. A final foi disputada no Estádio do Dragão, no Porto, e foi um encontro íntimo com apenas um gol solitário selando-o.

Kai Havertz marcou no final do primeiro tempo – Mason Mount passou para o alemão que se viu um a um com o goleiro do City, Ederson – e enquanto o brasileiro desviou a bola para longe, Havertz ficou passando a bola para uma rede vazia.

Dificilmente foi um clássico, mas viu o Chelsea garantir seu segundo título da Liga dos Campeões.

2019: Tottenham Hotspur 0-2 Liverpool

As dicas de apostas da Betfair estavam apoiando o Liverpool de Jürgen Klopp para conquistar seu sexto título da Liga dos Campeões – e o primeiro desde aquela fatídica noite em Istambul – e eles fizeram exatamente isso, contra outros adversários ingleses. O Tottenham estava jogando em sua primeira final europeia.

O Liverpool começou e terminou brilhantemente – vencendo por 2×0. A apenas 24 segundos do pontapé inicial, o Liverpool recebeu um pênalti, depois que Moussa Sissoko tocou a bola, e Mohamed Salah se adiantou para marcar o pênalti resultante. E depois de dominar o segundo tempo, a equipe de Klopp encerrou a partida na fase de morte – o substituto Divock Origi marcou no canto inferior direito, depois que Spurs não conseguiu passar um escanteio.

2008: Manchester United 1 x 1 Chelsea (6 x 5p)

A primeira final totalmente em inglês percorreu a distância em Moscou, enquanto o Manchester United buscava conquistar seu primeiro título europeu em 40 anos – e provou ser um encontro épico, cheio de ação.

Depois de 20 minutos de jogo bastante chato, o primeiro incidente viu Paul Scholes e Claude Makélélé se enfrentando no ar. Ambos os jogadores foram marcados, enquanto o meio-campista do Manchester United deixou o campo para tratamento. Cinco minutos depois, o United quebrou o impasse – Cristiano Ronaldo convertendo-se do cruzamento de Wes Brown. Mas o Chelsea empatou antes do intervalo – um esforço de longo alcance de Michael Essien desviou tanto Nemanja Vidić quanto Rio Ferdinand, iludindo Edwin van der Sar, e permitindo que Frank Lampard capitalizasse.

O segundo tempo não foi sem incidentes, mas nenhum dos lados pôde quebrar o impasse, e mais 30 minutos seriam jogados. O maior ponto de discussão do tempo extra veio nas fases de morte do jogo, quando uma briga de 22 homens aconteceu, e o atacante do Chelsea Didier Drogba foi julgado por ter esbofeteado Vidić. O marfinense foi expulso e o Chelsea jogou os minutos finais com 10 homens – o que também significa que eles haviam perdido um cobrador de pênaltis.

Na disputa de pênaltis, Ronaldo perdeu o terceiro pênalti dos Red Devils. John Terry poderia ter vencido pelo Chelsea, mas ele escorregou e seu chute de pênalti acertou a trave. O verdadeiro herói foi van der Sar, que salvou o pênalti de Nicolas Anelka, para garantir ao United a vitória por 6-5 e garantir seu terceiro título europeu.

LEIA TAMBÉM: EA e FIFA encerram parceria de quase 30 anos e jogo terá outro nome

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments