Opinião: Drops de Jogos leu a “edição de colecionador” da revista Veja sobre VR; confira impressões

A revista Veja lançou neste mês de outubro uma "edição de colecionador" voltada para VR. Com a manchete "Do videocassete à realidade virtual", a maior publicação impressa da editora Abril afirmou em entrevista ao site Adnews que foi a primeira a vender exemplares com óculos voltado a essa área. A informação não é verdadeira, já que a revista Mundo360, feita pelo Esconderijo das Crianças com parceria do Drops de Jogos, já tinha sido lançada em 16 de julho e se tornou pautas no próprio Adnews e no Meio & Mensagem.

Foto: Divulgação

Drops de Jogos foi ler a edição de R$ 69,90 da Veja para entender o que existe de fato na revista. Da sua tiragem oficial, 10 mil exemplares foram entregues com um óculos de VR especial do Itaú numa ação da agência África.

A publicação não tem nenhum QR Code, apenas duas páginas explicando seu aplicativo de realidade virtual que possui quatro vídeos em 360 graus. Este é o conteúdo mais inovador na revista. Entre os textos escritos, há 18 artigos repescados de edições antigas da revista, desde 1980, 1989. Autores como Isabela Boscov e outros jornalistas escreveram sobre cinema, realidade mista e inovação. Mas a Veja não produziu nenhum conteúdo novo substancial além de um infográfico da evolução tecnológica.

Para comparação, a Mundo360 tem 28 vídeos com QRCodes, incluindo dois que são conteúdos exclusivos. Além disso, entre os textos, que abordam moda, animais e outras pautas, há uma reportagem do Drops de Jogos sobre Pokémon GO no lançamento.

A Veja buscou inovar com realidade virtual, mas fez todo o trabalho depois do Esconderijo das Crianças. Lançou em 21 de julho uma ação em realidade virtual na Olimpíada, mas sem vender revistas com óculos na banca de jornal. A Mundo360 estava pronta no dia 16 daquele mesmo mês e está a venda por R$ 29,90, menos da metade do preço da concorrente.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cultura