Opinião: Zangado vai dublar Gears 4, um ano depois de ter criticado Roger e Pitty

O vlogueiro brasileiro de sucesso, Zangado, divulgou no dia 20 de setembro que será um dos dubladores da versão em português do jogo Gears of War 4, da Microsoft. O UOL Jogos relembrou que, há mais de um ano atrás, o produtor de conteúdo criticou as escolhas da Warner Games de empregar os trabalhos do cantor Roger em Battlefield: Hardline e da artista Pitty em Mortal Kombat X.

Foto: Divulgação

"Algumas pessoas acham que a dublagem está ligada apenas ao falar em português, mas na verdade está ligada à arte de interpretar. A maioria dos dubladores profissionais têm curso de interpretação e atuação. Esse lance de pegar texto em português e mandar ler achando que vai ficar bom – fala sério, né?", falou Zangado, que tem formação como engenheiro.

A crítica do vlogueiro é válida e o próprio autor deste texto a endossou em 3 de fevereiro de 2015, num texto do site parceiro Geração Gamer. No entanto, ao mesmo tempo, entendemos que as empresas têm total liberdade criativa de sair do padrão dos profissionais da área e tentar um nome para gerar impacto de marketing.

Critiquei a péssima reação de Roger com as críticas da imprensa naquele período, chegando a bloquear quem o questionasse no Twitter.

Zangado é um profissional muito mais sensato e vai entender as críticas que recebe hoje. Mas foi incoerente na questão das dublagens. Se antes ele recomendava apenas o trabalho de dubladores, hoje ele faz parte do marketing das próprias empresas.

Ele será o primeiro YouTuber a fazer este tipo de trabalho no Brasil.

Se vlogueiros estão atraindo milhões de visualizações em seus vídeos, sobretudo nos games, é de se esperar que as marcas façam propostas em troca de exposição com este público. O universo com profissionais mais especializados, citado por Zangado em seu vídeo, está distante neste mundo que busca, incessantemente, audiência.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no youtube 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cultura