Voltado para jovens de 12 até 25 anos, projeto da Microsoft Eu Posso Programar oferece cursos de graça

"A complexidade técnica das ferramentas de desenvolvimento de aplicativos é um mito", diz o texto do site.

  • por em 4 de outubro de 2016

A programação está entre os conhecimentos mais importantes da atualidade: todos os dispositivos digitais e eletrônicos que utilizamos precisam, em algum momento, de um software que irá orientar suas performances de interação e resposta. Programar, no entanto, não é fácil.

Pensando nisso, a Microsoft criou um sistema de ensino de programação voltado aos jovens de 12 a 25 anos, que busca tornar mais convidativo o aprendizado deste fundamental recurso, o projeto Eu Posso Programar.

Começando dos princípios mais básicos, como usar blocos de código para transportar os personagens Steve e Alex, de Minecraft, a uma aventura pelo mundo dos pixels em 3D, o programa estimula os jovens a buscarem novos desafios, aprendendo sem atropelos.

"Continue dando seus primeiros passos na programação e verá que a complexidade técnica das ferramentas de desenvolvimento de aplicativos é um mito, e que todos podemos programar", inspira o texto do módulo introdutório Aprendendo a Programar, que exibe vídeo-aulas no site.

De 03 a 08 de outubro, a Microsoft realiza a Semana do Código, cinco dias de conteúdos exclusivos sobre como começar a programar para os participantes do programa. A atividade engloba Conecta, evento em 39 institutos federais e reúne mais de 20 mil jovens para debater e aprender sobre programação.

Das atividades iniciais oferecidas pelo programa à codificação de grandes projetos, é claro, há uma longa jornada. Mas estimular os jovens a dominarem os princípios da programação é uma iniciativa louvável e necessária, que pode desafogar o mercado, tão carente de bons profissionais nas linguagens de programação.

Mais informações direto no site Eu Posso Programar.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cultura