Estúdio Double Dash consegue R$ 500 mil de investimento

Do site Produção de Jogos cedido para esta página. Ele segue estas diretrizes de divulgação do Drops de Jogos.

Foto: Reprodução/YouTube

Uma das maiores questões que empreendedores na indústria de games enfrentam quando buscam empresas para criar advergames é a falta da experiência de ter lidado com um cliente de fato.

Mas esse não foi um problema para a Double Dash Studios, que conseguiu mostrar seu trabalho por meio dos jogos produzidos em game jams.

Durante o PDJ Show – série de entrevistas do site Produção de Jogos que conta sobre a trajetória de desenvolvedores de jogos no Brasil – o cofundador do estúdio Lucas Thiers afirma como o estúdio utilizou os jogos já criados em maratonas de desenvolvimento de jogos para conseguir o primeiro cliente. “O que a gente fez para ganhar experiência como equipe e que deu nosso primeiro portfólio e rendeu alguns projetos interessantes, foi muita game jam”, diz.

E foi essa experiência que levou o estúdio a conseguir criar seu primeiro jogo completo para a Piraquê, famosa fabricante de biscoitos do Rio de Janeiro.

Segundo o cofundador da Double Dash, criar projetos de qualidade em maratonas pode contar pontos para quem deseja atuar de forma profissional no mercado. E o mais importante nesse caso nem é a quantidade, e sim a qualidade de cada projeto: “A gente deve ter uns três ou quatro projetos de game jam que têm versões jogáveis e que mostram a experiência ‘bonitinha’ do jogo”, afirma o desenvolvedor.

O mais interessante é que eventos como esses são completamente acessíveis para qualquer tipo de profissional e desenvolvedor de jogos. Então, essa pode ser a forma mais fácil e eficiente de conseguir criar um bom portfólio para mostrar a potenciais clientes. “Ter produtos de qualidade que a gente fez em game jams e que mostram que a gente faz uma coisa bonita nos ajudou bastante”, diz Lucas Thiers.

Confira a entrevista completa no site do Produção de Jogos

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indie