Game com presidenciável, que incita à violência, é denunciado por ONGs e investigado pelo MPF

Estúdio não se manifesta sobre a investigação.

  • por em 11 de outubro de 2018
Imagem: Fotomontagem

A start-up brasileira BS Studios tornou-se alvo de um inquérito civil público pelaa Comissão de Proteção dos Dados Pessoais e do Núcleo de Enfrentamento à Discriminação do do Ministério Público do Distrito Federal, em virtude do game Bolsomito 2K18.

O jogo de luta em estilo plataforma lateral coloca a figura do presidenciável de ultra-direita confrontando grupos GLBTQ+, negros, mulheres e "líderes do temido exército vermelho", como descreve o texto de apresentação do projeto na loja virtual Steam.

O capítulo Recife da IGDA já havia lançado uma carta aberta em protesto ao jogo, que foi também alvo de intensa controvérsia em um grupo de desenvolvedores no Facebook, com centenas de comentários.

Derrotados, os alvos da violência do candidato se transformam em um emoji de fezes. "Um jogo que naturaliza esta violência e estimula ódio se torna uma ferramenta para amplificar ainda mais o atrito já existente, além de reforçar uma cultura excludente, homofóbica, machista e misógina", denuncia o texto da associação pernambucana. A IGDA Internacional respondeu apoiando a inciativa brasileira.

"A legitimação do extermínio de populações vulnerabilizadas não tem lugar no estado democrático de direito", afirma um ofício da Aliança Nacional LGBTI+, que levou o caso ao MPF.

O estúdio não se manifestou sobre a polêmica ou a investigação em andamento.

Com informações da IGDA-Recife e Uol.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indie