História: Roqueiro usava LSD e fugia da polícia em game criado para a Apple em 1996

Enquanto Lara Croft arrebatava os jogadores com suas 'curvas poligonais' no PlayStation, Jerry Garcia viajava no ácido no Pippin.

  • por em 9 de julho de 2016
Imagem: reprodução

A história dos games não é feita apenas de sucessos e a Apple, hoje dominente nas App Stores, já amargou seus fracassos.

O Pippin, aparelho lançado pela empresa em parceria com a fabricante de brinquedos Bandai, é um dos casos mais famosos de consoles que não vingaram e renderam milhões em prejuízo.

Apesar de custar o equivalente a US$ 600, em uma época em que o console da concorrente Nintendo era vendido a um terço desse valor, o Pippin usava já tecnologia ultrapassada em seu lançamento, e tinha pouquíssimos jogos para atrair o público consumidor. Entre os games lançados, Garcia's Guitar é daqueles ícones que, hoje, dificilmente conseguiria autorização para figurar nas comportadas lojas virtuais.

O projeto apresentava o guitarrista Jerry Garcia, famoso integrante da banda de rock Grateful Dead, correndo pela tela recolhendo guitarras 'voadoras', enquanto fugia da polícia consumindo drogas como ácidos e naguilés.

A concepção extemamente freak e simplória do jogo partiu do jovem Jason Rainbows, que desenvolveu o produto para aprender a programar no Machintosh. "Eu criei Garcia's Guitar como um freeware, ainda na época do System 7 [sistema operacional do hardware]", comentou o desenvolvedor indie em conversa com o site Ars Technica. "Foi um jogo muito simples, que fiz como uma experiência de aprendizagem", explicou.

A aproximação com a Apple, decorrente da receptividade positiva de seu projeto, conduziu o novo jogo para o Pippin, a aposta da Apple no mundo dos media center. "Eu acabei me tornando um bom amigo de algumas pessoas que trabalhavam na Apple e que podiam me aconselhar sobre coisas legais que era possível [fazer] com esta nova tecnologia emergente [o Pippin]", rememorou.

Assim como o console, que foi um fiasco mercadológico para a empresa [o uso do processador Motorola PowerPC 603 fazia o CD ROM levar até três minutos para carregar], o game jamais conquistou público para além dos fãs de Mac e do roqueiro.

Rainbows arrisca um dos motivos para o fracasso do projeto: "Meu palpite é que eles só pegaram um monte de títulos freeware [disponíveis para os Macs] e trabalharam [para adaptá-los] no Pippin", sentenciou. A empresa teve vários problemas para angariar produtoras, que já forneciam para NIntendo, Sega e Sony.

Jerry Garcia, líder e mentor do Grateful Dead, morreu em agosto de 1995, poucos meses após o lançamento do console e do port do game nele inspirado. O artista de sucesso mundial jamais soube do fiasco da aventura digital criada em sua homenagem.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indie