Similar a Pokémon GO, indie brasileiro Parque dos Diamantes promove caça ao tesouro com Realidade Virtual

"A geolocalização é a base do jogo. O game roda offline e não precisa de internet", informa o desenvolvedor.

  • por em 19 de agosto de 2016

O desenhista industrial Daniel Emiliano Klan Wilde, de Ribeirão Preto, São Paulo, desenvolveu e está divulgando seu projeto pessoal de indie game, que se utiliza de recurssos muito similares ao fenômeno global Pokémon GO.

Trata-se de Parque dos Diamantes, jogo que envolve geolocalização e realidade virtual, no qual os jogadores devem sair em uma caça ao tesouro digital.

Diferente de Pokémon GO, que exibe os pontos de captura de monstrinhos virtuais em locais pré-estabelecidos, Parque dos Diamantes permite aos jogadores definir estas localizações, criando um ambiente de interação mais rico entre os participantes e aproveitando melhor as condições espaciais de cada ambiente.

Portando dispositivos móveis como tablets ou celulares, os jogadores devem encontrar dentro do tempo estabelecido para a aventura os objetos virtuais que o adversário espalhou pelo ambiente.

"Sou desenvolvedor independente de jogos já faz uns 10 anos, mas só agora realmente comecei a me focar em desenvolver jogos próprios", explicou o criador, que já apresentou o projeto em espaços públicos como parques e unidades do Sesc, pelo interior de São Paulo.

"A geolocalização é a base do jogo. Só com o sinal de celular já é possível fazer a triangulação [para jogar]. O game roda offline, não precisa de internet", ressaltou o desenvolvedor.

Daniel está em busca de empresas e instituições interessadas em oferecer ao público vivências imersivas em realidade virtual por meio de jogos como Parque dos Diamentes. Mais informações estão disponíveis no site do jogo e na página pessoal do criador no Facebook.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indie