17 curiosidades sobre o Dreamcast nos 17 anos desde o seu lançamento

Dreamcast, considerado como uma "bomba" ou um console "inovador" da SEGA, foi o último aparelho comercializado pela marca que rivalizou com a Nintendo nos anos 90. O gadget completou, no dia 9 de setembro de 2016, 17 anos desde o seu lançamento nos Estados Unidos – na fídica data de 9/9/99.

Foto: Divulgação

O primeiro modelo chegou no dia 27 de novembro de 1998. Para relembrar seu legado controverso, Drops de Jogos separa 17 fatos sobre o último console da SEGA. Confira.

  1. Um dos maiores de fatores de fracasso do Dreamcast foi o número de unidades vendidas: 9,13 milhões. O número é inferior aos 9,26 milhões do antecessor Saturn e é ainda menor do que o Genesis/Mega Drive, de 30,75 milhões;
  2. Dreamcast teve um acessório chamado DreamEye, que funcionava como uma webcam;
  3. O console foi um dos primeiros a ter conexão de internet, na frente inclusive do PlayStation 2;
  4. Aparelho teve um controle em formato de vara de pesca que era sensível a movimentos. Ele poderia ser utilizado como espada em Soul Calibur e era um pré-Wii Mote;
  5. TecToy chegou a revender o aparelho de forma oficial no Brasil. Aproximadamente 20 mil consoles foram comercializados em 10 meses no nosso país;
  6. Dreamcast teve uma morte prematura no dia 16 de março de 2001. O Japão fez assistência técnica do aparelho até 2007. O encerramento da produção provocou o corte de um terço dos funcionários da SEGA;
  7. O jogo mais vendido do console foi Sonic Adventure, que chegou em 2,5 milhões de unidades vendidas;
  8. Um dos motivos do fracasso foi o sucesso do concorrente PS2, que chegou em 155 milhões de consoles nas mãos dos clientes;
  9. Grandes títulos foram cancelados com a morte prematura do Dreamcast: Baldur’s Gate (BioWare/SEGA), Battle Zone II (Pandemic Studios), Castlevania: Resurrection (Konami USA), Daytona USA 3 (SEGA), F1 Grand Prix 4, Final Fight Revenge (Capcom), Flintstones: Viva Rock Vegas, Gold and Glory: The Road to El Dorado (UbiSoft), Half-Life for Dreamcast (Gearbox + Captivation Digital Laboratories/Sierra), Heroes of Might & Magic III (3DO/UbiSoft), Lost World: Jurassic Park (SEGA/AM3), Max Payne (Remedy/Rockstar/Take 2), Outrun2 (SEGA/AM2), Sim City 3000 (Maxis), Sonic & Knuckles RPG (SEGA), South Park: Deeply Impacted (Iguana/Acclaim), Star Wars: Super Bombad Racing (Lucas Learning/LucasArts), Streets of Rage 4 (SEGA) e The New Batman Adventures (Ubisoft New York);
  10. Grandes franquias começaram e prosseguiram no console da SEGA, como Soul Calibur (1999), Resident Evil: Code Veronica (2000), Shenmue (1999), Jet Set Radio (2000), Crazy Taxi (2000) e Phantasy Star Online (2000);
  11. O executivo Isao Okawa assumiu a SEGA em 22 de maio de 2000, no lugar de Shoichiro Iramajiri. Ele defendia que a empresa abandonasse o negócio dos consoles por sucessivos prejuízos nos balanços;
  12. A SEGA tentou combater a pirataria com uma mídia para jogos chamada GD-ROM, com capacidade de armazenamento de 1,2 GB, que era mais difícil de ser pirateada em comparação aos CDs e DVDs do PlayStation e do PS2;
  13. O sistema de internet do Dreamcast se chamava Sega Net;
  14. Um meme da web brasileira atribuída a um jovem chamado Leonam popularizou a história de que ele teria ejaculado em seu console da SEGA em 2002. A fofoca foi espalhada na internet até meados de 2004;
  15. Dreamcast teve uma versão Hello Kitty no Japão em 2000;
  16. A versão Divers 2000 CX-1 foi um Dreamcast com televisão que vinha de fábrica;
  17. Com o fim melancólico da SEGA no ramo de hardware, o engenheiro Peter Moore, considerado como pai do Dreamcast, foi convidado por Seamus Blackley para ingressar na equipe do Xbox 360 dentro da Microsoft. Ele teria tornado o console um sucesso comercial.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria