Aos 15 anos, Halo ainda é reconhecido pelos diferenciais entre os shooters de consoles

A franquia Halo, do estúdio Bungie, completa hoje 15 anos, em 15 de novembro de 2016, desde sua aparição como carro-chefe do console Xbox, em Halo: Combat Evolved.

  • por em 15 de novembro de 2016
Foto: Divulgação

Diferente de outros shooters da época, como GoldenEye, Perfect Dark e TimeSplitters, o jogo havia sido concebido originalmente como um jogo em terceira pessoa, com elementos de estratégia em tempo real somente para PCs e Mac. O plano era este até a Microsoft levar a melhor nas negociações e garantir a exclusividade do game, migrando a franquia para o lançamento do novo console.

Esse fato provavelmente foi determinante para as singularidades do jogo, até então incomuns nos demais games do gênero. Um dos recursos mais inovadores (e copiados por jogos subsequentes) foi a limitação de armas que o personagem poderia usar e carregar simultaneamente. Até então, os FPS disponibilizavam uma profusão de armas, munições e equipamentos para os jogadores ao longo do gameplay. Halo só permitia ao jogador escolher duas entre as armas disponíveis. A decisão estava baseada não nas possibilidades imersivas do jogo, mas no design do controle do Xbox, que não dispunha de teclas para seleção de itens.

Longe de se mostrar um problema, a questão tornou-se um campo para as escolhas do jogador, a partir dos desafios presentes no game e o poder de fogo de cada equipamento. De lá para cá, muitos games passaram a adotar este recurso como forma de balancear o gameplay e o arsenal disponível para o jogo.

Outra inovação do jogo foi a libertação dos claustrofóbicos corredores existentes em sucessos como Doom e Quake. Em Combat Evolved, o jogador pela primeira vez aproveitava a amplitude dos terrenos para uma jogabilidade mais baseada em táticas combate que na quantidade de tiros.

O game também serviu de base para outra mania que ganharia os jogadores, as batalhas online. Embora tenha chegado antes do serviço Xbox Live, que chegaria cerca de um ano depois, o game antecipava essa tendência, conectando até 16 aparelhos em redes locais. Ideias originais como o campo de energia, que ajudava na defesa dos personagens em combate e a possibilidade de regeneração dos pontos de saúde ao longo das partidas também ajudaram a moldar as inovações responsáveis pela atualização do gênero.

Via GamesRadar

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria