Conheça outros games com temas distópicos anteriores ao novo Cyberpunk 2077

Alguns clássicos do gênero foram sucesso de crítica, mas tiveram vendas abaixo da expectativa.

  • por em 11 de junho de 2018
Imagem: frame de vídeo

A desenvolvedora CD Projekt Red, criadora do conceituado game The Witcher, anunciou o lançamento para breve de Cyberpunk 2077. 

O tema é lugar comum na cultura nerd e no mundo dos games desde que Neuromancer, obra seminal de William Gibson, ganhou o mundo, em 1984.

Conheça alguns games que se apropriaram das ideias de um mundo distópico, virtualmente conectado e sem futuro promissor.

System Shock
Adventure de ação produzido pelao estúdio Looking Glass Technologies, em 1994, o game foi considerado um dos mais avançados no gênero.
A ação se passa em uma estação espacial, onde o jogador assume o papel de um hacker que deve confrontar e vencer SHODAN, uma maléfica inteligência artificial.
Com vendas apenas modestas, apesar do sucesso de crítica, o game de tiro deixaria sua marca, influeciando projetos futuros como Deus Ex e BioShock, sucessores conceituais de System Shock.

Neuromancer
Game lançado pela Interplay Entertainment, em 1988, que bebe diretamente no universo ficcional de William Gibson. A história se passa em Chiba, no Japão, e no ciberespaço, grid virtual que pode ser acessado para interconexão e hackeamento de sistemas.
O projeto foi lançado para os computadores com sistemas Amiga, Apple II, Apple IIGS, Commodore 64 e MS-DOS e integra a lista dos "150 Best Games of All Time", da revista Computer Gaming World, em novembro de 1996.

Blade Runner
Point-and-click adventure de 1997, criado pelo Westwood Studios para o sistema Windows, o game se ambientava no clássico filme do diretor Ridley Scott, com uma historia paralela à do caçador Rick Deckard. O jogador assume as missões do blade runner Ray McCoy, em sua busca por replicantes fugitivos.
Um dos destaques do game era a mudança do mundo em tempo real, que fazia com que iniciativas diferentes levassem a novos desdobramentos no jogo, algo incomum para os games da época. Os personagens encontrados podiam ou não ser replicantes, a cada novo jogo.

Omikron: The Nomad Soul
O estúdio Quantic Dream é mais conhecido pelo belíssimo projeto Heavy Rain, mas este game demonstra a atenção do desenvolvedor com suas produções.
Em Omikron: The Nomad Soul, o jogador interpreta um policial em uma dimensão paralela, onde acaba se envolvendo em uma trama complexa de conspiração e forças motrizes do Bem e do Mal.
O destaque fica para o NPC com modelagem inspirada no "starman" David Bowie.

Deus Ex
Obra prima dos estúdios Ion Storm, que envolve o jogador em uma aventura de RPG com elementos de FPS e stealth.
O game apresenta um elevado nível de customização e muitas missões que se intercalam, proporcionando momentos de combates e outros onde a sagacidade e a exploração dos ambientes podem poupar o personagem de riscos desnecessários.

Shadowrun
Adaptação do RPG de mesa da Fasa, o game foi desenvolvido pelo estúdio australiano Beam Software, e lançado em 1993 para o NES.
O game, baseado no livro Não Faça Acordos com o Dragão, de Robert N. Charrette, foi aclamado pela crítica e recebeu o título de Best RPG of the Year por três veículos especializados. As vendas, no entanto, decepcionaram os desenvolvedores.
Jake Armitage, o personagem central da trama, se vê sem memória e busca encontrar informações sobre si e o motivo de estar sendo alvo de tentativas de assassinato.
Em 1994, uma segunda versão com mais opções de final chegou ao console Genesis, pela produtora BlueSky Software.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube

 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria