Opinião: A vinda de Hideo Kojima para a BGS muda o patamar dos eventos no Brasil

Numa entrevista concedida no dia 10 de agosto ao site Tecmundo, o fundador da Brasil Game Show (BGS) Marcelo Tavares definiu a vinda de Hideo Kojima ao evento como um "marco". "Não há dúvidas, é o público que mostra: 26% colocavam Hideo Kojima como principal nome que gostariam de ver. O segundo estava 20 pontos percentuais atrás. Era uma diferença bem grande. Esses pedidos vinham desde conhecidos da gente, da imprensa ou do público em geral. Pra nós é um marco, é o principal nome que trouxemos até hoje. É um cara que é um deus da indústria de games, já recebeu todos os prêmios possíveis lá fora e agora tem um projeto muito aguardado ", disse o empresário ao jornalista Vinicius Munhoz.

Foto: Divulgação/BGS

O segundo nome mais pedido no evento é o de Shigeru Miyamoto, o criador de Mario. O criador das franquias Metal Gear e Zone of Enders parece ter a preferência absoluta entre os gamers mais velhos. Agora que ele está focado no desenvolvimento de um game totalmente novo chamado Death Stranding, é uma grande oportunidade para os brasileiros verem Kojima fazendo os jogos que ele sempre quis fazer na sua carreira.

Como a BGS chegou nele?

De acordo com Tavares na mesma entrevista, Hideo Kojima era mais inacessível quando trabalhava com a Konami. A BGS tentou se aproximar do desenvolvedor de jogos em 2015, quando ele lançou Metal Gear Solid V: The Phantom Pain. Infelizmente não foi possível trazê-lo ao Brasil.

Quando ele se desligou da gigante japonesa e criou a Kojima Productions, o acesso dele se tornou mais fácil para Marcelo Tavares e a equipe do evento.

O mesmo problema se verificou com MIyamoto. A BGS também quer trazê-lo, mas as burocracias da Nintendo e seu afastamento do Brasil impedem que isso se concretizem.

O que podemos esperar de Kojima no Brasil?

Estive na E3 2017 e tanto Kojima quanto Shigeru Miyamoto estavam lá. O criador de Mario estava anunciando seu crossover com a Ubisoft (Mario + Rabbids), enquanto o desenvolvedor de MGS estava numa palestra mais descontraída com o diretor Jordan Vogt-Roberts, de Kong: A Ilha da Caveira.

Na palestra, Hideo Kojima comparou a criação de jogos com a preparação de sushis e disse que nenhum deles é igual – e que este tipo de mídia é muito diferente da cinematográfica, embora ele se identifique com filmes. No Brasil, podemos esperar que ele receba seu prêmio especial na BGS, interaja com cosplayers e conte um pouco sobre a sua história.

Kojima não é a única atração internacional da Brasil Game Show. O evento também receberá Nolan Bushnell (criador da empresa Atari), David Crane (designer de Pitfall), Phil Spencer (chefe da divisão Xbox), Stephen Bliss (GTA), Hector Sanchez e Ed Boon (ambos de Mortal Kombat).

Sua presença no maior evento brasileiro e da América Latina, com previsão de 300 mil visitantes, é um marco na história dos jogos em nosso país.

A BGS acontece entre os dias 11 e 15 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria