Catan, do recém-falecido Klaus Teuber, revitalizou os jogos de tabuleiro

  • por em 5 de abril de 2023

Catan, do recém-falecido Klaus Teuber, revitalizou os jogos de tabuleiro - Imagem: CBC Canada-Cassandra Tracy

Klaus Teuber, criador do board game Catan, publicado em 1995, tornou-se uma celebridade após o lançamento de seu projeto, que foi laureado com o Spiel des Jahres, prestigioso prêmio alemão de jogo de tabuleiro e jogo de cartas, e traduzido para cerca de 40 idiomas com mais de 30 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.

O renomado autor do jogo faleceu no último sábado, dia 1º de abril desse ano, aos 70 anos, após o que foi divulgado como uma “doença breve e grave”, mas a relevância de sua criação permanece, alegrando famílias e jogadores.

Catan, que trocou seu nome ‘Colonizadores de Catan’ pela versão atual mais enxuta (em razão das críticas com o caráter colonialista do título, segundo informações da editora da tiragem holandesa, 999 Games) é um jogo de estratégia relativamente fácil para iniciantes e também desafiador, para três a quatro jogadores, com duração aproximada de 60 a 90 minutos, variando de acordo com o número de jogadores e os níveis de experiência.

Mas porque o jogo é tão celebrado em um mercado cheio de outros grandes títulos e com centenas de lançamentos a cada ano? O Drops de Jogos deu uma pesquisada em alguns autores e sites sobre jogos de tabuleiro para melhor entender a questão, como segue abaixo.

O site Playtronic afirma que Catan é “um dos melhores jogos de tabuleiro para jogar com a família e amigos”, explicando que o projeto “é fácil de aprender e jogar, adapta-se a uma variedade de níveis de habilidade e enfatiza a interação social e a jogabilidade amigável”.

“Catan tem o equilíbrio certo entre estratégia, sorte e escolha. A sorte dos dados ajuda a guiar uma partida de Catan, mas não é o único fator em como o jogo se desenrola. Existem muitas maneiras diferentes de jogar e ganhar Catan. Você pode decidir explorar e seguir o caminho mais longo, ou se concentrar em cartas de desenvolvimento e obter pontos de vitória indescritíveis”, destaca a análise, disponível online.

“Pessoas diferentes têm recursos diferentes, então cada jogador vai avaliar esses recursos de maneira diferente. Posso ter uma tonelada de madeira, mas preciso de outra coisa. Isso dá a oportunidade de criar uma troca ganha-ganha para com os jogadores”, explica Stuart Ritter, planejador financeiro sênior e vice-presidente da T. Rowe Price, em Baltimore, à agência Reuters, avaliando os aspectos que envolvem a importância da negociação durante as partidas e na relação entre jogadores, destacando o caráter integrador oferecido pelo jogo aos participantes, uma das características mais significativas dos board games.

“Catan é sem dúvida um dos melhores itens que descobri através do trabalho, e não sou a única que pensa assim. Conduzi dezenas de pessoas para este jogo de tabuleiro, criando algumas rivalidades intensas (e muitas memórias, claro), e não me arrependo de absolutamente nada”, escreveu, em 2020, a pesquisadora de jogos Camryn Rabideau, na coluna Reviewed, do jornal USA Today.

“O que o torna tão especial? […] Dê uma olhada nas milhares de críticas do jogo – estava com uma classificação de 4,8 estrelas na Amazon, e a grande maioria das críticas negativas se deve a produtos falsificados, não ao jogo em si. Praticamente todo mundo concorda que é ridiculamente divertido e, ao contrário de muitos jogos de tabuleiro, pode ser repetido várias vezes sem envelhecer. Realmente, o que há para não amar?”, continua a avaliadora de jogos, claramente entusiasmada com a criação de Klaus Teuber.

“Catan tem um valor de replay quase ilimitado – com 3.695.814.682.560.000 (mais de 3 quatrilhões!), diferentes layouts de tabuleiro exclusivos usando apenas as regras básicas. Provavelmente, você já ouviu falar de Catan, mesmo que não goste particularmente de jogos de tabuleiro”, indica o texto presente no site Inomics.

“O jogo é interessante do ponto de vista econômico, já que os jogadores devem coletar e trocar recursos, investir no crescimento de sua própria economia em miniatura, negociar com outros e tomar decisões sobre negociações e custos de oportunidade a cada passo. Em Catan, a pessoa que constrói a economia mais eficiente e de crescimento mais rápido quase sempre vence”, esclarece o artigo.

“Catan é um jogo fácil de aprender, mas com uma profundidade surpreendente. Muitos princípios de macro e microeconomia estão em jogo, o que, junto com a aleatoriedade, contribui para a rejogabilidade de Catan. Se houver algum economista por aí que ainda não jogou o jogo, eu o encorajaria a tentar”, finaliza o articulista Sean McClung.

“Catan foi uma experiência de jogo diferente para mim e será um jogo que guardarei para sempre. Apesar de estar um pouco sobrecarregado no início do jogo, rapidamente descobri uma estratégia que queria implementar. Ela falhou miseravelmente, mas isso não importava. Eu estava me divertindo tanto que ganhar não importava, era a experiência”, escreveu Tyler Nichols, há uma década, para o site Board Game Quest.

“Catan tem uma interação direta e envolvente do jogador com um equilíbrio perfeito entre sorte e estratégia. Isso permite que jogadores novos e experientes joguem um jogo competitivo com um lado sempre tendo a chance de vencer o outro”, defende o autor do artigo.

“Eu sou um cara que gosta demais de Catan. É um dos primeiros jogos modernos que aprendi, joguei muito e até cheguei a ser juiz de campeonatos regionais. Mas o engraçado é que nunca o tive na minha coleção. Quando fui adquirir uma cópia, eu achei que os materiais atuais de fabricação vieram com uma qualidade inferior aos antigos”, comentou Francis Eureka, designer e gerador de conteúdo do canal Tábula Quadrada.

“Eu acho um ótimo jogo estratégico e que ao mesmo tempo encaixo no educacional, podendo ser de grande ajuda para quem quer ensinar economia e administração. Também recomendo como jogo para eventos empresariais”, enfatiza o conteudista, em rápida troca de mensagens com o Drops de Jogos.

O jogo também serviu de ingresso aos board games contemporâneos para o jornalista Guilherme Portugal, criador do canal Carpete Vermelho, que enviou suas impressões para a produção desse artigo.

“Catan foi o primeiro Boardgame moderno que joguei na vida. Era por volta de 2005-2006 no shopping em São Paulo com um stand temporário com jogos, tinha Mage Knight, RPGs e uma mesa de Catan. Antigão, bem euro, com as peças bem quadradas e com um tom dem forte e presente. Joguei com a minha mãe, o monitor e um cara “X” que estava por lá. Eu lembro que me encontrei com o jogo, era bem pequeno e nem lembro quem ganhou, só sei que não fui eu. Mas aí despertou o meu interesse em jogos modernos. E sempre caçamos o jogo para termos em nosso acervo, pois gostamos muito do jogo, até que meu irmão encontrou a versão mais retangular da Grow, Colonizadores de Catan, que para mim é a minha edição favorita, talvez …”, rememorou, saudosista.

Como deixou claro a articulista do USA Today, há mais de 14 mil avaliações sobre o jogo na Amazon e a imensa maioria é elogiosa, sendo que as poucas críticas estão relacionadas, em sua maioria, a problemas com produtos comercializados não legalizados.

Que possamos todos nos inspirar na criação de Klaus Teuber para almejar realizações ao mesmo tempo simples e desafiadoras, capazes de encantar nosso público.

Agora, vá jogar!

Imagem: CBC Canada-Cassandra Tracy

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments