Os estúdios de games precisam de Missão, Visão e Valores? Por Paulo Luis Santos, colunista do Drops de Jogos

Estas três palavrinhas corporativas que assustam muitos desenvolvedores não devem ser ignoradas.

Foto: Jeramey Jannene/Creative Commons/Flickr

Sem delongas: Sim, já respondendo a pergunta do título de cara. E digo mais: Cada um dos seus jogos podem ter missão, visão e valores. Mas para explicar o raciocínio, vamos dar alguns passos para trás. Se você pesquisar no Google os termos “missão, visão e valores”, encontrará alguns textos didáticos e outros corporativos. O terceiro destes corporativos é o da Vale, antiga Vale do Rio Doce. Confira:

Palavras que falam por si só

Missão
Transformar recursos naturais em prosperidade e desenvolvimento sustentável

Visão
Ser a empresa de recursos naturais global número um em criação de valor de longo prazo, com excelência, paixão pelas pessoas e pelo planeta

Valores

  1. A vida em primeiro lugar
  2. Valorizar quem faz a nossa empresa
  3. Cuidar do nosso planeta
  4. Agir de forma correta
  5. Crescer e evoluir juntos
  6. Fazer acontecer

Em tempos da maior tragédia ambiental causada pelo homem em território brasileiro, da qual a Vale é acusada de ser a protagonista por meio de uma de suas empresas, as palavras acima falam por si só. É complicado quando uma empresa não age de acordo com aquilo que se propõe, não

Reed Hastings, fundador e CEO da Netflix, cita em uma apresentação sobre cultura corporativa que a Enron, empresa que supostamente faturava mais 100 bilhões de dólares cujos líderes foram presos por fraude, exibiam valores lindos no papel – mas na prática era muito diferente. “Os valores reais de uma empresa são demonstrados por quem é recompensado, promovido e mandado embora”, afirma Hastings.

Reed Hastings é conhecido por criar uma cultura inovadora na Netflix

Hastings está coberto de razão. E é por isso que todo estúdio de games deve ter missão, visão e valores. E mais: na verdade, toda empresa, de qualquer tamanho e setor, deve ter estes três pilares claros para se erguer de maneira sólida.

Criar este tripé pode parecer algo entediante, chato, sem sentido, corporativo e digno apenas de quem estudou administração de empresas. Mas não é. Trazendo para o nosso mundo dos games, funciona mais ou menos como definir as regras do jogo – como as coisas devem funcionar na sua empresa ou naquele projeto em si.

Veja bem, a missão é a razão de existir do seu estúdio. Todas as coisas que são feitas devem contribuir para o cumprimento da missão. É, normalmente, uma frase clara e direta, que pode ser compreendida rapidamente. 

Veja abaixo dois exemplos de missão – um da Flux, e outro de um projeto:

MISSÃO DA FLUX
Criar experiências únicas, positivas e memoráveis por meio de jogos, contribuindo para uma sociedade mais realizada, engajada e feliz.

MISSÃO DO PROJETO DE GAME
Oferecer uma experiência de luta multijogador hilária, profunda e inovadora.

É importante não confundir a missão do Projeto do jogo com a missão do jogo na narrativa em si. A missão do Mario dentro da narrativa de Super Mario Bros (1) é salvar a princesa. A missão do projeto de jogo Super Mario Bros. talvez seja algo na linha de “Criar um jogo de plataforma criativo, lindo, balanceado e desafiador”.

Se der uma chuva de princesa, no seu colo cai cogumelo

A partir de uma missão clara, o restante do caminho fica mais fácil. Se a missão ainda não está clara, revise, discuta, volte atrás. Ela tem que estar cristalina pois será o alicerce de tudo, então nem pense em construir visão e valores se sua missão ainda está meio nebulosa.
Se já está tudo certo, hora de pensar na visão. E, para isso, tentar responder às seguintes perguntas: qual o caminho para chegarmos lá na missão? Como queremos ser vistos por aqueles com quem lidamos? A visão dará o norte, o direcionamento para se cumprir a missão.

VISÃO DA FLUX
Ser reconhecida globalmente pela qualidade e criatividade dos projetos e serviços que desenvolve.

VISÃO DO PROJETO DE GAME
Criar um game em universo rico, instigante e ultra-violento que sirva de palco para partidas rápidas e competitivas, com gameplay midcore para hardcore calcado em mecânicas únicas focadas na diversão dos jogadores.

A visão sempre deve deixar claro o que a empresa será e onde ela estará para conseguir cumprir a sua missão. 

E com isso, chegamos aos valores: os princípios que guiam as escolhas e o comportamento de todos os envolvidos na organização. Basicamente, são pilares para os quais deve-se olhar o tempo todo para garantir que o dia a dia esteja caminhando adequadamente.

VALORES DA FLUX

  • Propósito
  • Eficácia
  • Diversão
  • Comprometimento
  • Criatividade
  • Inteligência

VALORES DO PROJETO DE GAME

  • Brutal
  • Badass
  • Fun
  • WOW! Moments

Como você vai construir o seu caminho?

CONCLUSÃO

Definir Missão, Visão e Valores não é tarefa fácil. Requer muita reflexão, estudo, busca de referências. É preciso se empenhar para achar o conteúdo certo, e depois para transformar isso nas palavras certas. Por isso, muita gente não faz, ou faz de qualquer jeito. E, nos dois casos, sempre dá m$#%@.

Outro ponto importante é revisar estes pontos periodicamente – ao menos anualmente. Muita coisa muda no início da vida de uma empresa ou projeto, então é natural que ajustes se façam necessários. Quanto menos ajustes e mais longo o intervalo entre eles, melhor – mas é muito melhor mudar sempre do que caminhar com Missão, Visão e Valores errados.

Com o tripé certinho, todos envolvidos na empresa e/ou no projeto terão muito mais clareza de para onde estão indo, por que caminho e de que maneira. Com tudo na mesma página, o ambiente criado para fazer os projetos torna-se muito mais produtivo e, em última análise, feliz.

Paulo Luis Santos é colunista do site Drops de Jogos no espaço Game Startup, com textos quinzenais sobre negócios, economia criativa e desenvolvimento. Ele é empreendedor, game designer, músico e professor. Fundou, em 2012, o Flux Game Studio, empresa paulistana de desenvolvimento de games autorais e sob encomenda que conquistou clientes multinacionais como Ambev, Banco Bradesco, McDonald's e a publicadora global 505 Games. Com dezenas de pessoas na equipe e mais de 45 projetos de game e gamificação finalizados, a empresa investe também na criação de novas Propriedades Intelectuais e já conquistou dois prêmios brasileiros de desenvolvimento de games educativos com sua abordagem de diversão em qualquer jogo. Diretor de Comunicação e Marketing da ABRAGAMES, é também jornalista pela ECA-USP, pós-graduado em Desenvolvimento de Games pelo Senac-SP e especialista em Gamificação. Atua no mercado de jogo digitais desde 2009, com passagens por grandes empresas de desenvolvimento e de publicação do Brasil, como Level Up! Games e Aeria Games.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Negócios