Licença do Windows 10 permite que sistema desabilite games piratas

Acordo de Licença ao Usuário Final do novo sistema da Microsoft afirma que Windows 10 poderá atualizar por conta própria os programas e games instalados no hardware, bloqueando softs e harware não autorizados.

  • por em 17 de agosto de 2015
Imagem: Mr T3 Rocks

Atenção pirateiros: seus dias de programas e games crackeados podem estar contados. O  End User Licence Agreement, acordo de usuário presente no Windows 10 especifica que o novo sistema operacional da Microsoft pode desabilitar automaticamente games e softwares que não sejam originais do computador ou celular do usuário à sua revelia.

O site Alphr identificou na seção 7B da licença a permissão prévia concedida quando o usuário der o 'Ok' para a instalação: "[A Microsoft] pode verificar automaticamente a atualização ou mudanças de configuração de sua versão do software e software de download, incluindo aqueles que impedem você de acessar os Serviços, os jogar jogos falsificados ou usar dispositivos periféricos de hardware não autorizados.", especifica o trecho.

Embora a informação não determine o Windows 10, a conta Microsoft do usuário está inclusa na descrição, o que sugere que a habilitação de Cortana (algo que todo gamer deverá desejar em seu dispositivo) também irá disparar o recurso. Uma possibilidade, acredita-se, é que o sistema impeça o uso apenas de games que exijam o login pela Microsoft, mas há dúvidas se programas de outras empresas, como a suíte de erditoração da Adobe, também serão afetados Analistas estão se perguntando ainda se o termo "usar dispositivos periféricos de hardware não autorizados", significará que consoles modificados também estarão sujeitos ao bloqueio proposto pelo sistema. 

Atualização: A notícia que correu o mundo hoje é, aparentemente, falsa. O site Gamnesia informou que o bloqueio se dará exclusivamente com produtos da empresa, como já haviam comentado alguns leitores. Na prática, embora possa impedir o funcionamento do sistema de buscas Bing ou da Live do Xbox, os programas de terceiros estariam livres desse monitoramento.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Tecnologia