Memória digital e direito de uso de games descontinuados geram disputa entre entidades norte americanas

Electronic Frontier Fondation e Entertainment Software Association discutem o direito de reter ou liberar o uso de games hoje sem servidores para ser usado pelos jogadores.

  • por em 11 de abril de 2015
Foto: Reprodução

Uma disputa que pode mudar o mundo dos games está em curso nos EUA, onde duas entidades, a EFF, Electronic Frontier Fondation, e a ESA, Entertainment Software Association, discutem o destino dos jogos digitais descontinuados pelas empresas e hoje indisponíveis nos servidores para uso por jogadores que compraram legitimamente seus jogos.

A EFF deseja que os games antigos sejam disponibilizados online novamente e, para isso, solicitou ao escritório de direitos autorais norte americano uma isenção destes produtos no Digital Millennium Cpyright Act (Lei dos Direitos Autorais do Milênio Digital), legislação estadunidense que criminaliza a produção e distribuição de tecnologia legalmente protegida.

Isto permitiria recodificar os games para serem utilizados em servidores externos. As produtoras, no entanto, afirmam que essa modificação de código é hackerismo e, para utilizar os consoles nestes jogos seria necessário quebrar a segurança dos sistemas, violando a lei e encorajando a pirataria.

A EFF manifestou-se em nota, afirmando que "isso auxiliaria as comunidades que desejassem continuar a utilizar seus jogos adquiridos, bem como arquivistas, historiadores e outros pesquisadores acadêmicos, que preservam e estudam os videogames e estão atualmente impedidos pelas incertezas legais".

A despeito da controvérsia, o assunto está nas mãos do escritório de direitos autorais que revisa a lei a cada três anos.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Tecnologia