Estudo inglês aponta que jogos violentos tem “impacto fraco” em crianças

Um estudo feito no Avon Longitudinal Study of Parents and Children envolveu 1800 crianças nascidas entre 1991 e 1992 e colocou elas em contato com jogos violentos desde cedo. A conclusão da pesquisa inglesa aponta que a violência tem "impacto fraco" na infância. Atualmente eles são jovens com cerca de 25 anos.

Foto: Divulgação

As crianças terminaram a pesquisa entre 8 e 9 anos e foram questionadas novamente aos 15. Os acadêmicos ingleses verificaram pouca correlação entre os jogos eletrônicos e a manifestação de depressão e outras doenças de natureza psíquica na juventude. Em abril de 2015, um estudo da Oxford University apontava o oposto, mostrando que estes games poderiam impactar crianças do ensino básico no Reino Unido.

Nos Estados Unidos, uma pesquisa em profundidade feita pelo psicólogo Christopher Ferguson e publicada no Journal of Communication em novembro de 2014 não encontrou correlação entre jogos e violência. Entretanto, um estudo divulgado em Ohio no mês de outubro daquele ano apontou que jogos em 3D poderiam amplificar sensações como raiva. O estudo rendeu um texto escrito por uma psicóloga no site Geração Gamer.

Não há conclusões definitivas sobre essa correlação entre games e atos violentos. No entanto, embora jogos digitais não devam ser estigmatizados, seu potencial de influência existe dentro da sociedade – nem sempre de maneira negativa.

Via WIRED.UK

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cultura