EXCLUSIVO: ProAC, programa de incentivo cultural de São Paulo, atenderá também projetos de Games

Declaração vem de gestor participante do conselho do Programa de fomento no estado.

  • por em 24 de maio de 2015

O ProAC, Programa de Ação Cultural do estado de São Paulo, será adapatado para atender também aos projetos de games no incentivo de produções culturais, afirmou Rodrigo Modena, que auxilia na elaboração do novo projeto. Modena, que atua como responsável administrativo do Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba e assessora o estado no conselho para a revisão da lei de incentivo estadual à Cultura, explicou que o projeto de lei passa por revisão e está, atualmente, em análise na Câmara de Deputados do estado.

A questão surgiu há algum tempo, quando o gestor discutia as possibilidades de incentivo à produção de games para além da Lei Rouanet, que possibilitou o início da produção de Toren, da Swordtales. "Será que o governo do estado de São Paulo aceita projeto de games? Essa era a nossa questão na época", informou em bate papo, durante o evento Aperte o Play, pitch de negócios de games idealizado pela Halo Digit, Acigames e Faculdade Impacta de Tecnologia. "A gente descobriu que, sim, aceita. Ótimo! Isso abriu uma porta imensa para se começar a discutir games dentro da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo", continuou, destacando que as conversas progradiram até a atualização da lei de incentivo, considerando contemplar os games também no programa estadual.

"Já passando de forma oficial para vocês, esse ano a lei do ProAC, que é o Programa de Ação Cultural do estado de São Paulo, está sendo revisada e game – produção – entrará com o apoio de ICMS. Isso significa que eu [o desenvolvedor] vou poder usar dinheiro de ICMS 100% abatido", revelou, para a plateia de mais de 100 pessoas, que apaludiu a decisão. 

Modena comentou, no entanto, que o projeto só deverá estar disponível de fato para apresentação de projetos em 2016, em virtude do processo burocrático de análise da Câmara e também do período recessivo hoje visível no mercado nacional.

Ainda assim, o administrador destacou haver dinheiro público para o fomento de projetos. "Este ano, aqui pro estado de São Paulo, serão R$ 44 milhões disponíveis em editais. Dentro da área de Cultura Digital sempre tem pelo menos um edital. Vale a pena concorrer? Depende do tamanho do seu projeto", explicou, informando que o programa oferece, atualmente, valores em torno de R$ 50 mil, que podem ser de grande ajuda para colocar aquele projeto em produção.

Após o encontro, Pedro Zambarda, editor do Drops de Jogos, conversou com o palestrante para obter maiores informações. O vídeo abaixo apresenta o breve bate papo. Confira.

 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cultura