Hardcore: Missão Extrema, primeiro filme com câmera FPS, tem ação vertiginosa e pode causar mal estar

O filme foi destaque em sua première no Festival de Toronto, em 2015, e está nos cinemas no Brasil desde a semana passada.

  • por em 19 de abril de 2016
Imagem: divulgação

Hardcore Henry, ou Hardcore: Missão Extrema, como foi intitulado no Brasil, é a primeira tentativa de transportar para o cinema a experiência dos jogos de tiro em primeira pessoa. Filmado com um sistema de captura de imagens que simula a sensação obtida nos games FPS, o filme teve estreia mundial no último dia 08 de abril, com receptividade alternada entre plateias e críticos e algumas reclamações de mal estar, causadas pela ação ininterrupta durante a exibição.

Apesar das cenas de tirar o fôlego, que devem fazer a alegria dos gamers mais radicais, o filme não conquistou os críticos de inúmeros veículos pelo mundo. O site Metacritic, que compila as impressões de jornalistas especializados e do público em geral, angariou apenas 51% de opiniões favoráveis dos profissionais, mas obteve pontuação de 8,5 junto aos cinéfilos.

"É de tirar o fôlego. É deslumbrante. É um mundo em alteração, é o que é. Pela primeira vez, um filme conseguiu criar isso. Hardcore Henry conseguiu replicar com precisão a experiência de assistir alguém jogando um game", afirmou artigo do New York Post, que deu nota 25 de 100 para o filme. "Hardcore Henry é chocante e tão não-cinematográfico que eu não consegui desfrutar de grande parte da ofuscante extravagância técnica que esta monstruosidade tique-taque de relógio ia atirando em mim", detonou o crítico especializado Roger Moore, homônimo do herói 007, em seu blog de cinema.

O filme parece colecionar situações de perigo com roteiro fraco e cenas alucinantes a cada minuto, envolvendo o público na adrenalina incesante e frenética da tela. A história coloca o espectador na pele de Henry, que precisa combater o vilão russo Akan, mente criminosa por traz de um plano de dominação mundial e em posse de sua esposa. Ao longo de 1h30 de muita ação, a trama não evolui e Henry precisa vencer os inúmeros membros da gang russa e os desafios que surgem a todo momento.

"Em um mundo justo, Hardcore: Missão Extrema estaria sendo considerado desde já como um favorito às principais indicações nas premiações de fim de ano. Em vez disso, provavelmente será lembrado apenas como um 'passatempo' inconsequente embora seja bem mais do que isso, representando um Cinema de qualidade excepcional", escreveu o crítico brasileiro Pablo Villaça, na contramão das más impressões gerais.

O filme foi destaque em sua première no Festival de Toronto, em 2015, e está nos cinemas no Brasil desde a semana passada. Aos interessados, vale redobrar a atenção com pessoas de estômago sensível e quadros clínicos de labirintite.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cultura