“Não existe um deus do jogo na mitologia e até os deuses jogam”, afirma pesquisador de games em vídeo

Francisco Tupy é doutor e mestre em games pela Universidade de São Paulo.

  • por em 7 de junho de 2018

O professor e pesquisador da cultura de jogos digitais Francisco Tupy explicou, em uma breve entrevista em vídeo, os benefícios e a importância dos jogos e dos games na vida contemporânea. Tupy, que recentemente defendeu tese de doutorado com o tema "Ponto de equilíbrio entre a nova teoria da comunicação, o vídeo game e o Minecraft", pela Universidade de São Paulo, destacou em sua fala o pensamento de Friendich Schiller (1759-1805), que atestou que "O que faz o ser humano ser 'humano' em sua plenitude é o jogar".

"Todo jogo vai ser caracterizado por regras fixas, recompensas – que podem ser também punitivas – e a questão da estratégia", sintetiza o pesquisador, lembrando que são igualmente importantes elementos como a Estética e a Narrativa nos projetos de entretenimento digital.

A troca de ideias se deu na gravação em vídeo para a Casa do Saber, instituição que fomenta a realização de debates, disseminação do conhecimento e o acesso à cultura, em São Paulo.

"Durante anos venho pesquisando em mitologias qual seria o deus do jogo. E não existe", afirmou o professor. "Não tem um deus que clame o jogo para si […] até porque os deuses também jogam", defendeu. 

Assista abaixo ao vídeo completo.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.
Clique aqui e assine nosso canal no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cultura

All Comments