Sesc de Campinas realiza encontro Dev/Camp – Pixel Art para produtores de games

Polo de produção de jogos independentes no país, Campinas sedia encontro de desenvolvedores para troca de conhecimento e fortalecimento do mercdo produtor de games na região.

  • por em 6 de agosto de 2015

Entre os polos que começam a se consolidar como espaços de produção de games no Brasil, a cidade de Campinas, em São Paulo, tem apresentado crescente número de desenvolvedores independentes. Como forma de auxiliar os emergentes a converter suas realizações em produtos de destaque no meio e aproximar profissionais da área, a equipe de programação cultural do sesc Campinas idealizou o projeto Dev/Camp. O objetivo é servir como espaço para diálogos com foco no processo criativo de jogos independentes, através de encontros mensais entre desenvolvedores de jogos digitais ou analógicos de Campinas e região. 

"Realmente, a região de Campinas já é um pólo de tecnologia e tem uma história dentro da indústria de jogos brasileira. Existem empresas e grupos de desenvolvedores de jogos ativos na região e o foco do evento seria um encontro entre os desenvolvedores independentes apresentando seus processos de criação",  informou Enric Llagostera, desenvolvedor independente e professor-coordenador do curso de Jogos Digitais da PUC-Campinas, também envolvido com a realização. "A ideia é que as pessoas possam levar seus jogos e mostrar, discutir e trocar ideias".

Llagostera lembra que a região metropolitana compreendida por Campinas e cidades próximas é servida de cursos de alta qualificação na linguagem dos games, como os presentes na PUC-Campinas e FATEC Americana, entre outros. "Esse tipo de evento seria uma oportunidade pra eles conhecerem outros desenvolvedores e já ir procurando maneiras de contribuir para a comunidade", acrescentou.

Para Anita Cavaleiro, uma das responsáveis pela idealização do evento, o objetivo é fazer com que futuros desenvolvedores independentes locados em Campinas e região se conheçam, entrem em contato com artistas, designers, compositores e programadores que já estejam mais estabelecidos na área, visando ampliar o repertório e criar novas relações, promovendo a criação coletiva. "Nossa intenção foi propor um evento mensal, voltado à troca de experiências e de conhecimentos específicos para que os interessados na área saibam o que está acontecendo no cenário atual e o processo por trás da criação de jogos independentes", explicou em bate papo com o Drops de Jogos.

Atuando como pesquisadora e curadora de games para eventos de arte e cultura e também educadora do espaço de Tecnologia e Artes do Sesc Campinas, Anita observa que o desenvolvimento de games no país ainda é um campo muito plural e pouco desenvolvido, mas que permite experimentações inusitadas e criativas. "Os desenvolvedores independentes têm uma característica bastante interessante em relação aos desenvolvedores de jogos 'AAA', eles não têm muito a quem responder a não ser a eles mesmos, ou seja, eles podem não ter acesso a grandes equipes e tecnologias de ponta, mas têm a liberdade de explorar em termos de linguagem, conteúdo e jogabilidade, sem a pressão de um resultado necessariamente lucrativo", declarou.

No encontro de abertura, que acontece na Sala de Atividades 1 do Sesc Campinas, no domingo, dia 16 de agosto, às 15h, o artista Midio apresentará seu processo criativo como artista 2D especializado em pixel art. Lucas “Midio” Carvalho é uma das expressões do desenvolvimento independente de games no Brasil, tendo colaborado em criações de destaque como Deep Dungeons of Doom, dos estúdios Miniboss /Bossa Studios, e Standed, aclamado game desenvolvido pelo designer britânico Peter Moorhead.

Mais informações podem ser encontradas diretamente no site da instituição.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Cultura