Docentes repudiam em carta fala preconceituosa de Lula sobre games

  • por em 20 de abril de 2023

Docentes e profissionais dos games repudiam em carta aberta preconceito de Lula aos games - Imagem: Arte sobre frame de Lula

Um grupo de profissionais do mercado brasileiro de games e professores de disciplinas ligadas aos jogos digitais lançou nessa quinta, dia 20 de abril, uma carta em repúdio às recentes declarações do presidente Lula associando os games à violência nas escolas.

No documento, o grupo esclarece que “inúmeros jogos com fins educativos, culturais, artísticos e poéticos têm sido desenvolvidos com base em pesquisas acadêmicas, com a finalidade de mediar o processo de ensino-aprendizagem de diversas disciplinas” e que contribuem “para o desenvolvimento de habilidades como a resolução de problemas e o pensamento crítico”.

A carta também cita o histórico de duas décadas de graduação em jogos digitais no Brasil, iniciadas em curso universitário em 2003, e que passou ao longo desse tempo “por avaliações rigorosas conduzidas por instâncias governamentais, mais uma vez corroborando ser o desenvolvimento de jogos digitais uma atividade pensada em termos legais, morais e éticos”.

“Se levarmos em consideração apenas os cursos de graduação, são mais de 280 em instituições de todo o Brasil, que vêm formando milhares de profissionais capacitados ao longo do tempo para atuarem nessa indústria”, ressalta o texto disponibilizado.

Por fim, os signatários afirmam que “relacionar os jogos digitais com comportamentos violentos, se constitui em uma leitura reducionista e de causa e efeito que não se comprova, sem considerar que a violência é um epifenômeno que exige uma análise mais complexa considerando distintos fatores, entre eles: mitificações nacionais, ideologias fascistas, questões sociais, econômicas, culturais e psicológicas, entre outras”.

Entre os avalistas da manifestação textual, alguns nomes se destacam, a exemplo de Delmar Galisi Domingues, coordenador de Design de Games na Universidade Anhembi Morumbi, Luís Carlos Petry, professor aposentado da PUC-SP e pesquisador líder-sênior do projeto da Política de Jogos Digitais do BNDES, Lynn Alves, coordenadora da Rede de Pesquisa Comunidades Virtuais, da UFBA, e autora da obra Game Over, Alan Carvalho, coordenador e professor em cursos de Jogos Digitais, avaliador de cursos de graduação pelo INEP e organizador do Fórum de Ensino de Jogos Digitais do SBGames, e Rafaella Moraes Vieira, game designer líder na ERA Game Studios, entre outros.

A íntegra do documento pode ser lida diretamente nesse endereço de drive online.

Imagem: Arte sobre frame de vídeo com discurso do presidente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments