10 games brasileiros com visual retrô que você precisa jogar

Entre as muitas produções atuais no mercado nacional de games, alguns projetos devem ser conhecidos e explorados pela qualidade estética inspirada no retrô e pela proposta de jogabilidade.

  • por em 5 de setembro de 2015
Foto: Kao Tokio/Montagem/Drops de Jogos

A produção de games no Brasil nunca esteve tão farta, ainda que o mercado consumidor às vezes não corresponda em vendas à dimensão de suas propostas. Mesmo assim, considerando a qualidade estética de certos projetos e a jogabilidade inspirada dos designers brasileiros de games, é importante conhecer e dar uma chance a estes trabalhos, alguns deles ganhadores de prêmios e reconhecidos internacionalmente.

O Drops de Jogos selecionou 10 games nacionais com estética baseada em produções de décadas passadas e explica porque valem a sua atenção. Confira:

Amazônia

Clássico de 1981, criado por Renato Degiovani para os computadores MSX, Aventuras na Selva, que depois se tornaria o game Amazônia, é um marco da produção nacional não apenas por ser um dos primeiros jogos em português, mas por tratar-se de um exemplar do gênero Adventure. O tipo de jogo era pouco comum na época, com um alto nível de complexidade e dificuldade, além de imagens retratando nossa flora nativa.

O criador vem convertendo suas produções para plataformas atuais e dispositivos móveis.

Amazônia pode ser jogado online diretamente no site Tlit.net.

Chroma Squad

Baseado nas séries de filmes com grupos de heróis japoneses coloridos, os super sentais, Chroma Squad apresenta modo de administração no qual você gerencia um estúdio de tv. No jogo, você roda filmes de monstros com personagens em collants extravagantes, contratando atores e buscando audiência para seu canal. A estética do jogo parece saída diretamente dos cartuchos de 16 bits da era SNES e Mega Drive.

Criado pelo Behold Studios, o game pode ser adquirido na loja virtual Steam.

Horizon Chase

Inspirado nos jogos de corrida dos consoles de 8 e 16 bits, o game do Aquiris Game Studio é uma homenagem rica em elementos visuais e dinâmica aos clássicos dos anos 1990.

Com oito cenários de jogo e controles extremamente simples para operação em telas sensíveis, o game é diversão garantida para os proprietários de mobiles com sistema iOS. Disponível na App Store a US$ 2,99.

Tales of the Orient: The Rising Sun

Com arte belíssima, mas modernizada em relação a outros projetos usualmente inspirados em games clássicos, Tales of the Orient: The Rising Sun é um puzzle com 100 níveis de dificuldade e gameplay que remete a jogos tradicionais como Tetris e Bejeweled. Com trilha sonora de alto nível, o game é perfeito para momentos de lazer descompromissado.

À venda na loja virtual SplitPlay.

Odallus: The Dark Call

A equipe de desenvolvedores do estúdio JoyMasher é famosa pela recriação de jogos com estética baseada em cartuchos de NES. Em Odallus: The Dark Call, o time estudou detidamente a paleta de cores do console da Nintendo para manter o projeto fiel à arte digital da época, criando um game cheio de nuances e perigos.

O jogo tem versão demo disponível para download nesse link

Gryphon Knight Epic

Resgatando o gênero shoot’em up com uma temática que foge às naves espaciais convencionais, Gryphon Knight Epic apresenta a saga do Sir Oliver que, montado em seu grifo Aquila, deve vencer inimigos que, um dia, foram seus aliados.

A estética do game retrata o visual dos games pixelados de 16 e 32 bits.

O jogo do Cyber Rhino Studios pode ser adquirido na loja SplitPlay.

Porcunipine

O game do estúdio Big Green Pillow, de Bauru, São Paulo, se desenrola em um período no qual, durante a grande era da calvície, porcos-espinho carecas batalham freneticamente pela sobrevivência usando seus únicos espinhos restantes. Com arte de colorido forte e contrastante, Porcunipine diverte pela ação frenética do modo multiplayer de jogo. Idealizado para até quatro participantes com seis personagens jogáveis, o game hardcore dos porcos-espinhos está disponível para aquisição diretamente neste link.

Out There Somewhere

Inspirado em referências como Cave Story, Super Metroid e Portal, o jogo dos jovens desenvolvedores do estúdio MiniBoss prima por uma mecânica de shoot’em up lateral no estilo arcade, com o sistema de teleporte que leva o personagem Yuri por vários ambientes.

Explorando o inóspito planeta alienígena e decifrando os diversos puzzles pelo caminho, Yuri precisará reconstruir sua espaçonave e derrotar o temível Grigori, o vilão da história. A venda na loja virtual Steam por módicos R$ 10,49.

Project Tilt

Shooter 2.5D multiplayer, o jogo do Bitcake Studios lança os jogadores em uma arena de incessantes combates, com muitos tipos de armas, mecânicas, controles e power-ups. A modelagem dos simpáticos robôs guerreiros lembra os games de 32 bits em troca contínua de raios e bombas por entre dutos e plataformas.

A demo de early-access pode ser jogada gratuitamente pelo Facebook.

Headblaster

Game com uma incrível e inspirada atualização visual da estética retrô, Headblaster propõe que o jogador controle o personagem e sua lancinante dor de cabeça. Quanto mais estessado, maior será o poder destrutivo do personagem, mas maiores serão também as chances de falecimento. Ao longo das ruas da cidade, pílulas medicinais podem reverter o comportamento agressivo do herói, mas oferecem também contra-indicações.

Rápido e perturbador, Headblaster pode ser baixado gratuitamente no site Game Jolt.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indie