Com 35 mil cópias vendidas, The Last NightMary terá continuação em Realidade Virtual com temas sociais

"Não tínhamos uma visão mercadológica, mas fomos 'forçados' a ter", afirmou Dex Drakon, CEO do estúdio Submersivo.

  • por em 19 de agosto de 2016

A Submersivo Game Studio, desenvolvedora indie do Piauí, entrou de cabeça no projeto de continuação de seu game de estreia: The Last NightMary – A Lenda do Cabeça de Cuia, lançado em 2015.

O jogo original ganhou a atenção de fãs em todo o mundo e já vendeu mais de 35 mil cópias em vários países. Após os erros e acertos da produção, os criadores resolveram partir para o novo projeto, que promete trazer temas sociais relevantes à trama.

Questões como a violência contra a mulher, a miséria e os problemas nacionais deverão integrar o roteiro do próximo game de terror dos indies do nordeste brasileiro. O uso da tecnologia de realidade virtual é outro dos destaques da produção.

Em conversa com o Drops de Jogos, o CEO do estúdio piauense Décio Oliveira da Silva, mais conhecido como Dex Drakon, explicou o que motivou o time na incursão pela nova produção. Acompanhe o rápido bate papo.

Drops de Jogos – Como foi a receptividade de público e crítica ao Last Nightmary original?
Dex Drakon – The Last NightMary, A Lenda do Cabeça de Cuia, foi um sucesso ao nosso ver. Além do score de reviews do jogo na Steam superar os 80%, hoje superamos a marca de 35k de cópias distribuídas no mundo todo. E ainda hoje as pessoas chegam pra mim me apoiando pelo belo trabalho que nosso estúdio, que é relativamente novo, concebeu.

Drops de Jogos – A história do novo projeto é uma continuação do game?
Dex Drakon – Não é necessariamente uma continuação direta, mas ele terá várias ligações com o primeiro jogo, e a primeira protagonista, Maria dos Anjos. O que queremos mesmo com esse game é contar como surgiu a lenda do Cabeça de Cuia, algo que ficou a desejar no primeiro game. E com isso, iremos explorar ainda mais nossa regionalidade, através de um enredo mais extenso e intrigante.

Drops de Jogos – Que modificações e implementos o público pode esperar para o novo projeto?
Dex Drakon – Quando decidimos criar TLN2 finalmente, desejamos primeiramente incluir vários detalhes que não pudemos colocar no primeiro jogo, seja pelo tempo corrido ou por limitações técnicas que tínhamos na época. Fora isso, buscamos sempre inovar, portanto estamos tentando trazer coisas originais, como misturar o 3D com o 2D, dando uma visão de 3 dimensões aos jogadores, de um universo construído totalmente em 2 dimensões. Além de usarmos V.R. para esse jogo.

Drops de Jogos – Como a equipe avalia o resultado do jogo original do ponto de vista da criação, produção, campanha e no quesito mercadológico?
Dex Drakon – A criação de TLN foi um pouco conturbada e seu resultado um pouco inesperado, principalmente por ser nosso jogo debutante no mercado. Primeiro que não planejávamos vendê-lo, por ser um jogo que fala de uma lenda regional, afinal, queríamos que o mundo todo a conhecesse, pois seria um ótimo motim para um terror. Acontece que ganhamos marketing gratuito por ser um jogo cultural, e as pessoas começaram a nos empurrar para frente com esse game, principalmente pela qualidade de acabamento que ele tinha. Não tínhamos uma visão mercadológica, mas fomos 'forçados' a ter. E ainda acabamos tendo sorte, mesmo decidindo vendê-lo tardiamente. Hoje o jogo vende mais do que que nunca, graças a todos os 'puxões de orelha' que recebemos, rs.

Drops de Jogos – Já existem concepts do próximo jogo que a gente possa mostrar?
Dex Drakon – Nós andamos trabalhamos arduamente em uma demo recentemente, tanto para definir um estilo de jogo que fosse único, quanto para pegarmos o feedback dos jogadores, principalmente por sermos marinheiros de primeira viagem em V.R. Não temos conceitos à mostra, mas temos sim alguns screenshots bem interessantes da Demo.

Drops de Jogos – Que outras novidades os criadores estão reservando para o próximo projeto?
Dex Drakon – TLN2 é fruto de uma decisão que tivemos recentemente: produzir jogos que sejam a nossa cara, sem seguir tendências. E o que o nosso estúdio faz de melhor é trazer a tona temas sociais e culturais. Inclusive, nesse atual projeto pretendemos falar sobre alguns temas bastante relevantes na atualidade, como violência contra mulher, miséria, religiosidade, etc, tudo regado à muito terror, que são assuntos intrínsecos à lenda do Cabeça de Cuia.

A produção do game já está em andamento e a o lançamento está previsto para o final de 2016 ou início do próximo ano. Os interessados podem acompanhar as informações sobre o desenvolvimento do projeto diretamente no blog Submersivo Game Lab.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indie