Jam póstuma em homenagem a jovem desenvolvedor da Bahia apresenta games que honram sua memória e legado

Com o falecimento de João Vitor Honorato, um dos mais ativos criadores de jogos da região, representantes do BIND idealizaram jam em sua homenagem, que apresentou games inspirados e criativos.

  • por em 25 de novembro de 2015
Imagem: Montagem fotográfica sobre arte de Felipe Barros de Sousa, parceiro do jovem JJ e profissional no Team Zeroth

O desenvolvimento nacional de games foi vítima de uma perda irreparável, em outubro passado, com a divulgação da morte de João Vitor Honorato, desenvolvedor indie da Bahia que, além de um promissor talento para o mercado, era dos mais queridos agitadores da cena gamer da região. Em sua homenagem, representantes do BIND, o coletivo Bahia Indie Game Developers, realizaram o JJ Jam, maratona de criação de games temáticos. O resultado, além de apresentar criações inspiradas e divertidas, celebrizou a memória deste que foi um dos grandes fomentadores do insurgente desenvolvimento de jogos na região. Mais do que os games produzidos, no entanto, é o legado de momentos especiais e alegres deixado entre amigos e desenvolvedores próximos que compõe esta memória afetiva e carinhosa sobre o rapaz, que contagiava a todos com seu comportamento profissional, tímido e afável.

"Tudo foi tão rápido que nem sabemos exatamente como aconteceu", explicou ao Drops de Jogos Johelen Marry, irmã do falecido criador de jogos. "A causa da morte foi tuberculose, inflamação nos pulmões e hepatite aguda. Preferimos pensar que foi Deus chamando o seu anjo para pertinho dele", afirmou, emocionada. Robert Rocha, um dos colegas de início da adolescência, narra o perfil do jovem e jeito de ser: "Eu o tinha como melhor amigo durante o ensino médio, momento em que nos conhecemos. Inteligente, alegre e amigo, tínhamos uma ótima relação, onde criamos naturalmente um grupo de alunos que se interessavam pelo estudo, na busca de algo melhor dentro do ambiente escolar público", informou Robert, em troca de mensagens com o Drops de Jogos, ao comentar a tristeza pela perda do amigo. "Mesmo estando na mesma universidade, nos víamos pouco e não acompanhei o envolvimento dele com a produção de games, mas também fiquei chocado com a repentina partida". 

"Em diversas ocasiões JJ (apelido dele) tirava tardes inteiras para me ensinar coisas básicas até que resolvi convidar ele para o meu projeto, o Turtles of Destiny. Depois de 6 meses do convite (e várias reuniões aos domingos e sábados), nós conseguimos o feito de ganhar os prêmios de Melhor Jogo, Melhor Arte e Melhor Game Design na Gamepólitan. Tudo isso teria sido impossível sem ele. Foi uma dia sensacional e a gente saiu radiante do evento", escreveu o parceiro de criação Ernani Rocha, logo após o falecimento do amigo. "Além de trabalhar comigo, João trabalhava na Sinergia Games, Team Zeroth e ainda fazia faculdade de T.I. na UFBA, sempre com o foco em criar jogos. Mesmo sabendo que ele passou pouco tempo aqui na terra, acho que a mensagem que ele deixa é que você deve fazer o que você ama", comentou o companheiro de profissão.

"O JJ Game Jam, teve como tema principal jogos rítmicos, pois era um dos principais estilos que João Vitor gostava", explicou Victor Cardozo, co-fundador do estúdio independente Contra Labs e um dos responsáveis pela jam de games do BIND. "Além disso, selecionamos alguns momentos vividos com JJ, simbolizando-os de alguma forma dentro do jogo, eternizando aquele momento engraçado ou mesmo um jeito marcante dele, como o fato dele adorar Violino", ressaltou o desenvolvedor, ao apresentar os projetos criados durante o evento. Os jogos produzidos, embora poucos em quantidade, demonstram o apreço incondicional dos amigos e jovens que, como ele, lutavam para transformar o desenvolvimento de games no Brasil em mais do que um desejo, mas mercado e meio de vida para aqueles que anseiam se expressar através dessa arte. 

Abaixo, você confere os links para as imagens e arquivos dos projetos desenvolvidos na homenagem póstuma, além de fotos do evento de encerramento, que contou com a presença de seus familiares:

Banana JJ Joyrney
É a aventura de JJ entre os alargadores, viajando através de uma banana.
JJ adorava alargadores, com o apoio de um amigo, ele resolveu meses antecedentes ao acontecimento, começou a usar. Isso gerou alguns momentos engraçados com a família e amigos.
Link 

Pancada Eletrônica
Jogo de luta rítmico, apresenta dois robots lutando no ritmo da música de fundo.
JJ adorava jogos que utilizavam musica como mecânica, não apenas jogar como desenvolver também, era uma das suas habilidades que mais se destacava e era um dos poucos a saber trabalhar bem com sincronismo.
Link  

Sá a Fada
Jogo plataforma rítmico, apresenta a personagem Sá, a fada, o qual precisa saltar nos blocos seguindo a música, coletando as Fanta.
Uma das formas de JJ se expressar era utilizar a palavra safada em certos momentos, o que resulta e muitas gargalhadas com amigos do trabalho.
Link  

Violin Street
Jogo plataforma rítmico, apresenta o personagem tocando Violino e pulando obstáculos pelo cenário.
João adorava violino, as vezes enquanto ensaiava no quarto, sua irmã registrava escondida a melodia apenas para mostrar as habilidades para sua Mãe.
Link  

"No dia do encerramento pudemos ver que cada jogo apresentado na homenagem, por mais que não estivesse polido, representava e tocava a família de João Vitor", destacou Victor Cardozo. "JJ era um garoto muito especial, sempre participativo e, mesmo tímido, com aquele jeito de programador calado, ainda assim surpreendia com a atitude de fazer e organizar oportunidades e grandes projetos em Salvador. Ficamos felizes não só pelo fato de a homenagem ter tido um significado como também mostrar o quanto João era especial para a comunidade", finalizou.

O Drops de Jogos parabeniza os envolvidos nesta bela homenagem póstuma e agradece a atenção dos desenvolvedores do BIND. 

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indie