Pixel Ripped será exibido no IndieCade ShowCase da E3 2015; criadora ganha US$ 10 mil em jam

A desenvolvedora maranhense Ana Ribeiro, criadora do game para óculos de realidade virtual Pixel Ripped, foi selecionada para o IndieCade ShowCase da Electronic Entertainment Expo (E3) 2015. A informação foi dada por ela na internet em 3 de junho. Pixel Ripped foi desenvolvido em 2014 para Oculus Rift sob o nome Pixel Rift, em um curso de pós-graduação no Reino Unido.

Foto: Edgar Rocha/Divulgação

Ana era funcionária pública do setor jurídico e vendedoras de empadas em São Luís antes de sair do Brasil para aprender sobre videogames. Especializou-se no desenvolvimento de games para Virtual Reality (VR) e quer criar títulos para Gear VR (Samsung) e até para o Morpheus (Sony).

Pixel Ripped não foi seu único game. The Bouncinators, jogo de um robô que fiscaliza a fila de uma balada, ganhou a maratona Oculus Mobile VR Jam na categoria de Community’s Choice Game. Ela e seu grupo ganharam US$ 10 mil de premiação, cerca de R$ 30 mil na conversão direta. Esse concurso com cerca de 300 projetos inscritos foi organizado pelo site Challenge Post, nos Estados Unidos.

O game de Ana Ribeiro teve apoio de Stef Keegan e Konrad Jablonski. Além da premiação, a brasileira agora viaja para a E3 para exibir nossos jogos na maior feira do setor do mundo.

Confira a lista completa do IndieCade na E3 2015.

  • …&maybetheywontkillyou, de Akira Thompson
  • Armikrog, do Pencil Test Studios
  • Australia Repopulates the World: The Game, da Seemingly Pointless
  • Back to Bed, da Bedtime Digital Games
  • Breath of Light, do Many Monkeys Development Pty Ltd
  • Butt Sniffin Pugs, da SpaceBeagles
  • Chambara, da Overly Kinetic
  • ChargeShot, da Cowboy Color
  • Cloud Chasers, do Blindflug Studios
  • Curiouser and Curiouser!, de Martzi Campos e Yuting Su
  • Death’s Gambit, da White Rabbit
  • Distance, do Refract Studios
  • Dysforgiveness, da Team Blueheart
  • Earth Primer, da Chaim Gingold
  • Face It!, da Navel
  • FUNBOX, de Trevor Dietz e Max Lavicka
  • Gang Beasts, de Boneloaf
  • GNOG, da KO-OP Mode
  • Gravity Ghost, da Ivy Games
  • Home Improvisation, da The Stork Burnt Down
  • In Tune, da Tweed Couch Games
  • Luckslinger, da Duckbridge
  • Lumino City, da State of Play Games
  • Maquisard, da NYU Game Center
  • Metamorphabet, da Vectorpark
  • Monikers, da Palm Court
  • Night in the Woods, da Infinite Fall
  • Pixel Ripped, de Ana Ribeiro
  • Plug & Play, do Etter Studio
  • ROCKETS, ROCKETS, ROCKETS, da Radial Games
  • Rose MacBeth, da Wise Guys Events
  • Royals, de Asher Vollmer
  • Shape of the World, da Hollow Tree Games Inc.
  • SMS Racing, da Turbo Button
  • Starport, da Otherworld Interactive
  • Sunset, da Tale of Tales
  • Swordy, da Frogshark
  • Synonymy, de Christopher Cinq-Mars Jarvis
  • Takat, de Tyler Kilgore
  • Tetheron, da Giverspace
  • The Lost Valley VR, da Paper Crane Games
  • Time Barons, da Quibble Games
  • Tribal & Error, da Grotman
  • TRIPAD, de Alexander Krasij
  • Velocibox, da Shawn Beck Games
  • Wattam, da Funomena
  • Whispering Willows, da Night Light Interactive

Via Geração Gamer

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indie