Brasileiro da Wildlife Studios, de mobile games, paga R$ 125 milhões por mansão; empresa demitiu aqui

Empresa foi acusada de assédio em documento interno, segundo reportagem de 2021

Victor Lazarte comprou mansão no Vale do Silício — Foto: Divulgação/Reprodução/O Globo

Victor Lazarte comprou mansão no Vale do Silício — Foto: Divulgação/Reprodução/O Globo

Victor Lazarte, o brasileiro que foi um dos fundadores da Wildlife Studios, unicórnio [empresa que vale mais de US$ 1 bilhão] do setor de mobile games, pagou US$ 25,4 milhões (R$ 125 milhões) por uma mansão no Vale do Silício. As informações são do site The Real Deal e do blog Capital, do jornal O Globo.

A aquisição ocorre poucos meses depois de Lazarte ter se tornado o primeiro brasileiro a entrar para o rol de sócios da Benchmark, gestora de investimento em startups da Califórnia e que investiu em companhias como Uber, eBay e Instagram em seus estágios iniciais.

Essa propriedade está localizada nos números 37 e 53 da Euclid Avenue, em San Mateo, a poucos minutos de uma das sedes da Benchmark. O imóvel fica no coração do Vale do Silício, distante menos de meia hora dos endereços de Google, Facebook e Apple e da universidade Stanford.

Lazarte comprou dois terrenos que somam 8 mil metros quadrados. Nele, há 760 metros quadrados de área construída, incluindo uma mansão em arquitetura de estilo mediterrâneo, uma casa de hóspedes e uma casa na piscina.

A propriedade tem 6 quartos e 8 banheiros, de acordo com a plataforma imobiliária Zillow, lembra o O Globo.

O brasileiro é formado em engenharia pela USP e fundou o Wildlife Studios com seu irmão Arthur em 2010. No ano passado, a companhia foi avaliada em US$ 3 bilhões, tendo como um dos seus investidores a própria Benchmark.

Desde antes da pandemia, Lazarte está baseado nos EUA, onde é investidor e conselheiro da Brex. A startup de cartão corporativo foi fundada por dois brasileiros e se tornou uma das mais valiosas fintechs do Vale do Silício.

Demissões da Wildlife no Brasil

Em junho de 2023, Wildlife Studios confirmou o corte de 13% de sua equipe técnica em várias áreas e também anunciou mudanças na hierarquia, com a chegada de Peter Hill, que assume como CEO do empreendimento.

A desenvolvedora afirmou “reestruturação organizacional” com a troca da direção executiva. Cortes são realizados desde 2022 na companhia e chegam até o número entre 200 e 300 pessoas.

Relatório interno apontou acusações de assédio

A empresa também enfrentou acusações de ‘assédio moral’, incluindo discriminação por gênero e desigualdade de salários. É o que afirma uma reportagem assinada por Nick Ellis, Jon Peltz e Alex González no site internacional Rest of The World de 2021.

No mês de maio de 2020, o departamento de recursos humanos da Wildlife Studios divulgou um relatório de 22 páginas, cujo portal Rest of World teve acesso, e que descreve diversas incidências de diferenças salariais para homens e mulheres que ocupam o mesmo cargo, além de discriminação de gênero.

A companhia não desmentiu a existência desse documento. Mas enviou a seguinte nota ao Drops de Jogos.

A Wildlife Studios esclarece que algumas informações fornecidas ao portal Rest of the World não são verdadeiras. Há cerca de dois anos, a empresa recebeu uma denúncia vinda de três funcionárias, que disseram ter conversado com outros colaboradores para preparar um documento que foi então encaminhado para a área responsável.  

Tão logo tomamos conhecimento sobre os fatos descritos no material, iniciamos um processo interno para sua apuração que resultou na demissão de dois colaboradores e medidas disciplinares aplicadas a um terceiro envolvido nas denúncias.  

Diversidade é um tema de extrema importância para Wildlife e a empresa trabalha para criar um ambiente seguro e inclusivo. Como parte das nossas iniciativas temos um canal dedicado a denunciar as violações do nosso código de conduta, e todas as queixas recebidas são investigadas pelo departamento de compliance sendo que, após um rigoroso processo de apuração dos fatos, tomamos as medidas cabíveis para cada situação. Ao constatar que houve um problema nessa área, a empresa também investiu no fortalecimento das lideranças femininas, que hoje é composta majoritariamente por mulheres, desde a gerente da área, passando pela diretora e diretora sênior do departamento, que se reporta diretamente para o CEO. Além disso, a taxa de contratação de mulheres nessa área é bem acima da média da indústria.  

Somos gratos a todas as pessoas que apontam problemas na companhia e sabemos que diversidade é um tema presente na indústria de tecnologia e, especificamente, na indústria de games. Por isso a Wildlife investe em garantir um ambiente inclusivo por meio de diversas iniciativas como grupos de representação de minorias, treinamentos e sessões de diálogos com os principais líderes de diversidade do Brasil. A Wildlife monitora o progresso na carreira dos diferentes grupos e tem orgulho de dizer que homens e mulheres são promovidos na mesma proporção.  E também trouxemos para nosso time um colaborador especialista em pagamento justo e autor do livro ‘Fair Play: How to Get a Raise, Close the Wage Gap, and Build Stronger Business’, com o objetivo de continuar trabalhando para um ambiente de equidade.  

LEIA MAIS

1 – Opinião: DJ lembra que Batman Arkham é a base de Spider-Man 2 e fala do sucesso de jogos de super-herois

2 – Bem Feito é a Lavender Town creepypasta indie brasileira. Por Pedro Zambarda

Victor Lazarte comprou mansão no Vale do Silício — Foto: Divulgação/Reprodução/O Globo

Victor Lazarte comprou mansão no Vale do Silício — Foto: Divulgação/Reprodução/O Globo

LEIA MAIS NO DROPS DE JOGOS

Veja os vídeos da semana acima.

Conheça mais sobre o trabalho do Drops de Jogos acima.

Veja mais sobre a Geek Conteúdo, a produtora da Rádio Geek, parceira do Drops de Jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments