Análise: E se Shigeru Miyamoto assumir a Nintendo?

A morte de Satoru Iwata, aos 55 anos, comoveu a internet na noite e na madrugada deste dia 13 de julho no ocidente. O falecimento do executivo também abriu um imenso vazio dentro da Nintendo, uma das maiores desenvolvedoras de videogames do mundo. E uma dúvida surge: Quem ocupará a vaga de presidente e de CEO da Big N?

Foto: Reprodução/YouTube

Essa partida de Iwata assusta o mercado de videogames, justamente por ser precoce. Seu antecessor, Hiroshi Yamauchi, faleceu aos 85 e era do clã familiar que criou a Nintendo. Ele foi um executivo incrível e sua herança está bem viva nos portáteis Nintendo DS e 3DS, além dos revolucionários aparelhos Wii e Wii U, que criaram uma geração de gamers casuais. Mesmo assim, desde 2012, a Big N coleciona balanços negativos, quando teve prejuízo de US$ 531 milhões no ano fiscal. A conta só foi voltar a fechar no azul no final de 2014.

No entanto, o futuro da empresa assusta e a transição da gestão Satoru Iwata é um dos principais fatores para definir os próximos passos.

O subordinado imediatamente inferior à Iwata é o diretor-geral da Nintendo Entertainment Analysis & Development, Shigeru Miyamoto. O criador de Mario, Donkey Kong e The Legend of Zelda é responsável pelo setor de pesquisa e desenvolvimento da companhia, a área criativa. Logo após dele vem o americano Reggie Fils-Aimé, presidente da Nintendo of America no ocidente, e Satoru Shibata, presidente da Nintendo of Europe e ex-presidente da Nintendo of Australia. Além dos dois, temos também Genyo Takeda na direção geral do setor de hardware, sendo que é o funcionário mais antigo nos cargos superiores. Takeda entrou na Nintendo em 1972.

Miyamoto está na companhia desde 77. No entanto, é ele quem possui o maior currículo entre os maiores executivos.

Como seria a presidência do criador de Mario?

Nascido no dia 16 de novembro de 1952 em Sonobe, Kyoto, no Japão, o executivo nipônico de cara tem um problema. Shigeru Miyamoto tem 62 anos de idade e é signicativamente mais velho do que o falecido Satoru Iwata. No entanto, goza de boa saúde e é assíduo frequentador de templos budistas.

A visão de Miyamoto sobre os videogames é artística e atenta à concorrência. Mario vs Donkey Kong foi inspirado no desenho Popeye contra Brutus, com influência do filme King Kong. Enquanto isso, The Legend of Zelda surgiu de viagens no interior de Kyoto, sua região de nascimento, em que ele pode conhecer cavernas. O japonês criou games icônicos baseados em suas próprias experiências pessoais.

Considerado como o primeiro "artista da Nintendo" era um dos homens mais próximos do presidente da época e o último representante do clã fundador da companhia, Hiroshi Yamauchi.

Suas criações no NES e no SNES tiraram o mercado internacional de videogames do buraco com a decadência da Atari e a ascensão do Japão, entre os anos 1980 e 1990.

Uma gestão Shigeru Miyamoto provavelmente seria um retorno às origens da Nintendo mais bem-sucedida entre o segmento de jogos digitais, com maior foco em títulos do que nos aparelhos. No entanto, há fatores que podem impedir este movimento da companhia.

O que pode impedir Miyamoto na presidência?

Atualmente, o criador de Mario exerce um papel muito importante na administração criativa da empresa. Tirá-lo deste posto pode prejudicar a companhia dependendo de quem for entrar em seu lugar.

Genyo Takeda, por exemplo, tem 66 anos e cinco anos de tempo a mais do que Miyamoto na Nintendo. Poderia ser uma opção caso a empresa queira manter o executivo no seu posto de principal artista e pesquisador de tendências.

Outros fatores que podem impedir a entrada de Shigeru Miyamoto nos mesmos postos de Satoru Iwata é o fato do ex-presidente ter acumulado sua função geral com a de CEO da Nintendo of America, de olho no crescimento da empresa no ocidente. Para assumir essa tarefa, o desenvolvedor de Link teria que abdicar das suas atuais funções para assumir muitas tarefas administrativas.

Mesmo com todas essas informações, imagine se Shigeru Miyamoto topar o novo desafio? Vamos aguardar os próximos dias para saber novidades.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria