BB-8, o droid mais simpático de Star Wars VII, pode ser controlado via celular está a venda no Force Friday

Evento comercial criado para divulgar antecipadamente o novo filme da saga, Force Friday apresenta novos gadgets para consumo nerd e o charmoso robô BB-8, que se movimenta controlado via celular.

  • por em 4 de setembro de 2015

Star Wars VII – O Despertar da Força é o grande retorno da saga dos Jedis e dos Siths, que deverá levar milhões aos cinemas em dezembro. Até lá, a Disney, detentora dos direitos da space opera, vai gerando buzz no mercado, por meio de teasers do filme e a realização de eventos como o Force Friday, promoção comercial que oferece novos brinquedos e objetos da cultura nerd baseados no novo episódio da franquia.

O maior destaque do dia é, sem dúvidas, BB-8, o charmoso droid criado para o novo filme, que parece ter força e apelo popular para destronar R2-D2, velho companheiro dos fãs da série. A partir de hoje, o público pode adquirir seu próprio robozinho, que se movimenta a partir do controle de um aplicativo de celular.

Produzido pela empresa Sphero, o droid tem movimentação livre, comportamento autônomo, que lhe permite explorar e vasculhar os ambientes,  personalidade adaptativa, que aproxima as atitudes do personagem às de seu proprietário e comunicação holográfica, que permite gravar, enviar e visualizar vídeos holográficos com o personagem por meio do aplicativo, de forma semelhante como visto na mensagem da princesa Leia a Obi Wan Kenobi.

Além de BB-8, a promoção global Force Friday, que teve início às 0h no Shopping Villa Lobos, em São Paulo, e mais 14 cidade de 12 países, oferece toda sorte de quinquilharias da saga intergalática, como personagens colecionáveis, capacetes de Stormtroopers, Boba Fett e Darth Vader, sabres de luz, naves espaciais e muito mais. BB-8, a grande sensação do evento, pode ser adquirido por US$ 150.

Confira abaixo o vídeo do pequeno droid em ação:

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria