Foco inicial do HoloLens não será nos games, diz Microsoft

Diretor executivo da Microsoft, Satya Nadella, explica que a primeira versão do projeto será voltada aos desenvolvedores e empreendimentos.

  • por em 15 de julho de 2015
Imagem: ZDNet

O diretor executivo da Microsoft, Satya Nadella, afirmou em entrevista concedida ao site ZDNet que as primeiras versões do projeto HoloLens não deverão focar no desenvolvimento de games, mas em outros campos de atuação como a área de serviços e desenvolvimento em geral.

A repórter Mary Jo Foley, que acompanhou a palestra ministrada pelo CEO no evento Worldwide Partner Conference, conseguiu a exclusiva, na qual questionou sobre os destinos da empresa e suas muitas áreas de atuação, do Surface ao Windows Phone. Em dado momento, a jornalista perguntou sobre o foco do HoloLens, consultando se a nova criação seria destinada mais para games ou pesquisa e negócios.

Na resposta, Nadella expressou que o cenário inicial do projeto está focado em empresas e desenvolvedores, fazendo alusão a Minecraft como o projeto da empresa para o que chama de realidade mista. "Os games sempre serão um cenário [para os negócios da Microsoft] e haverá [campos de] entretenimento mais amplo. Mas, com a versão número um do HoloLens eu quero que forcemos um pouco mais no uso empresarial", declarou.

O CEO completou, afirmando que a abordagem geral da Microsoft terá sempre esse foco de dupla utilização ou multi-foco, fazendo ponte entre o consumidor e o mundo empresarial, no que definiu como "missão de capacitar as pessoas e organizações". "Quero que cada tecnologia nossa vá em busca disso. No caso do HoloLens, quando eu vejo o campo de interesse, é incrível como muito dele está nos hospitais, empreendimentos de cuidados com a saúde, varejo… É onde eu vejo o interesse e nós vamos, definitivamente, atrás disso".

Ainda que as palavras do executivo possam soar desanimadoras para os produtores de jogos digitais, o interesse inicial também desta parcela de desenvolvedores parece significativo, especialmente considerando a procura já vista por outros sistemas de tecnologia 3D e propostas com Realidade Aumentada. A tendência nesse mercado, acredita-se, deve crescer no curto prazo.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria