Kojima, Silent Hills e a bolsa de valores de Nova York: qual o futuro da Konami?

Boatos, rumores e uma condução confusa e misteriosa fazem crescer os temores em relação as finanças da empresa.

  • por em 27 de abril de 2015
Foto: Divulgação

Ninguém diria há um ano que Hideo Kojima correria o risco de sair da Konami ou que a empresa cancelaria um novo projeto baseado em Silent Hill, mas estes e outros assuntos rondam o noticiário de games e do mercado financeiro este ano e parecem indicar que nem tudo anda bem na casa famosa por produções como Castlevania, Metal Gear Solid e Beatmania, entre tantos outros.

A semana começa com a nota da empresa divulgando o cancelamento do projeto Silent Hills, que envolvia Kojima e o diretor de cinema Guillermo del Toro e, há poucas horas, a informação que a empresa estaria se retirando do mercado de ações norte americano, conforme informado no release da empresa.

Um documento do SEC, US Securities and Exchange Commission (órgão que regula este mercado nos Estados Unidos), apresentado em 1º de abril, já indicava que a Konami não permaneceria no mercado de valores norte americano, notificando seus acionistas. Em novo comunicado lançado hoje, a empresa reafirmou a decisão com detalhes e datas, informando que 99,71% de suas transações no ano passado já aconteciam através do mercado de ações de Londres e do Japão. De acordo com informações do site Polygon, as operações na bolsa norte americana exigiam um empenho de aproximadamente US$ 5 milhões anuais ao caixa da empresa, segundo o analista de mercado Michael Pachter.

O noticiário financeiro internacional atesta que a empresa vem exibindo desempenho extremamente baixo na transação de ações no último trimestre, em comparação com outras grandes desenvolvedoras de games, o que levantaria suspeitas sobre a condição financeira da Konami. Estas dúvidas só aumentam quando se adicinam os já conhecidos boatos da demissão de Hideo Kojima, criador da série Metal Gear Solid, e a notícia sobre o cancelamento do novo game Silent Hills. A empresa sustenta que outros games da série terão continuidade e afirma que está tudo em ordem, de acordo com as decisões de reposicionamento da marca no mercado, mas não faltam especulações considerando os possíveis problemas momentâneos da desenvolvedora.

Outras novidades devem surgir a medida em que se realizarem os eventos de games, que forçam a divugação de conteúdos e posicionamento empresarial, e avançam as reportagens sobre a empresa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria