Novo CEO da 22cans admite que Peter Molineux “fu***d up” no caso God of Gods

Focando no papel de administrador da empresa, Simon Phillips tenta contornar os problemas criados com a promesa não cumprida pelo desenvolvedor e dar novo direcionamento aos negócios.

  • por em 21 de julho de 2015

Simon Phillips, o novo CEO da desenvolvedora 22cans, de Peter Molineux, afirmou esta semana que está tentando consertar os problemas causados pela promessa não cumprida do criador de mundos e afastar a má impressão causada à imagem da empresa com o episódio do modo de jogo God  of Gods, em Godus.

O caso veio a público este ano, quando o site Gamespot informou que o jovem Bryan Henderson, a quem havia sido prometido o modo especial de jogo, jamais recebera a premiação ou qualquer contato posterior com Molineux e sua empresa. Godus foi lançado em setembro de 2013 para PCs, com uma nova versão para iOS em agosto de 2014, e o modo especial de jogo God of Gods seria capaz de influenciar no multiplayer do jogo, oferecendo ao jovem parte da receita gerada pelo projeto. O modo multiplayer, no entanto, jamais foi implementado e Bryan Henderson nunca recebeu a prometida recompensa.

"Olhe, nós sabemos que f***mos com isso, mas vamos tentar fazer alguma coisa", afirmou o CEO em nova entrevista com o site, realizada esta semana. "Estou em contato com ele agora. Meu compromisso é que a gente converse", comentou, buscando alternativas para sanar a situação constrangedora causada pelo fato.

O administrador explicou que seu foco está na área financeira da empresa para permitir que Molineux possa direcionar seu pensamento e energia para o desenvolvimento de games. "Não tente fazer tudo ", disse Phillips em alusão ao papel até então desempenhado pelo developer." Não tente juntar as coisas todas de volta porque tudo vai desmoronar". Com o objetivo de manter a ordem na casa, O CEO pretende que Peter Molineux possa se dedicar integralmente a The Trail, novo projeto da 22cans. E evitar promessas que não possa cumprir.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria