O que precisa ser dito sobre Big Boss no final de Metal Gear Solid V [Texto COM SPOILERS]

Você terminou Metal Gear Solid V: The Phantom Pain? Só se você acabou o jogo você deve ler este texto e discutí-lo. Ou se você não se importa com spoilers. Caso contrário, saberá de detalhes do final do game antes mesmo de "zerá-lo". Está avisado? Então tome cuidado com o texto logo abaixo.

Foto: Divulgação

 

[ALERTA DE SPOILERS acaba aqui]

 

No final de MGSV você descobre que não está controlando Big Boss, mas sim de fato um personagem novo chamado Venom Snake. Ao fazer um exame de DNA com Eli, Liquid Snake criança, o player descobre que eles não são compatíveis. Uma das últimas missões envolve Boss combatendo novamente a infecção trazida por Skull Face para eliminar os falantes de língua inglesa. Sem saber como curar seus próprios compatriotas do Diamond Dogs, Big Boss é obrigado a chaciná-los dentro da Mother Base, tornando-se de fato um "demônio" banhado no sangue dos companheiros, de seus amigos.

Isso desemboca na cena do funeral que foi largamente divulgada nos trailers da E3. Aliás, é importante pontuar que as poucas cutscenes grandes de Phantom Pain aparecem mais na parte final, na segunda metade do jogo.

Boss recebe mais fitas e uma revelação surge na missão 46 Truth: The Man Who Sold The World. Basicamente, é a mesma sequência inicial do hospital em Chipre onde ele passou nove anos em coma. No entanto, finalmente é revelada a sua verdadeira identidade: Você não é o Big Boss verdadeiro, mas sim o médico que estava no helicoptero que caiu perto da base dos Militaires Sans Frontiers – personagem que é editável no começo deste jogo. O verdadeiro Boss era Ishmael, aquele misterioso enfaixado no hospital. Você passou por uma cirurgia plástica, feita por Ocelot, para se comportar como o lendário soldado. Depois foi treinado para construir sozinho a Outer Heaven.

Revolver Ocelot agiu da mesma forma em Metal Gear Solid 2: The Sons of Liberty, quando coordenou a missão de Raiden para simular a invasão em Shadow Moses, sem contar com a presença do verdadeiro Solid Snake. Ele criou a terapia mental para se fingir como Liquid Snake no mesmo período e conseguiu enganar o sistema eletrônico de manipulação dos Patriots, comandados por Zero (Cipher). Você é, dentro de Phantom Pain, o doppelganger (pessoa que copia outra) original.

Sem nenhuma ligação genética, você é um soldado qualquer que se tornou uma lenda. Enquanto isso, depois da fuga em Chipre, o verdadeiro Big Boss assumiu sua identidade e foi viajar até os Estados Unidos. Foi desta forma que ele criou a FOXHOUND e treinou Solid Snake, cujo nome é David.

Ocelot te entrega uma última fita com uma mensagem do verdadeiro Boss. "Agora você se lembra? Graças a você eu enganei a morte. E você também deixou sua marca. Eu sou você e você sou eu. Carregue isso com você. De agora em diante, você é Big Boss" e surge um sorriso no rosto do soldado que você controla. Na timeline oficial de Metal Gear Solid, Venom Snake na verdade é o Big Boss Phantom. Um fantasma que se tornou o lendário mercenário no Oriente Médio e na África. O "Saladin" descrito por Sniper Wolf em Metal Gear Solid (1998).

Por que este final é bom?

Esta é uma questão de opinião, mas este encerramento de Phantom Pain é, de certa forma, muito bom. O Big Boss Phantom é de fato um Big Boss. Ele é o lendário soldado conhecido por seus assassinatos e pela sua força bruta fora dos Estados Unidos, além de ser o verdadeiro responsável pela construção de Outer Heaven. É ele que vai ser eliminado por Solid Snake em Metal Gear (1987), na Operation Intruder N313 que é visualizada em uma fita cassete de Phantom Pain.

O verdadeiro Big Boss, Jack, vai se esforçar para construir uma verdadeira pátria de mercenários chamada Zanzibar Land. Além disso, o Phantom protege o ex-integrante dos Patriots das investidas de Zero e dos soldados que são leais ao Cipher e ao seus sistema espalhado no mundo.

Muitas pessoas acreditam que este final foi enrolado e ruim. Mas é o tipo de linguagem que eu espero de um jogo desenvolvido por Hideo Kojima, quebrando a quarta parede com o espectador. Tem uma grande similaridade com Metal Gear Solid 2, cujo final é aberto desta forma e o protagonista novato Raiden é uma metáfora do próprio jogador. Naquela ocasião, todos os jogadores poderiam ser Solid Snake.

Neste enredo, fica claro que é o player que cria a lenda chamada Big Boss. Ele não é um personagem da Konami ou de Kojima. Somos nós que o criamos em cada missão e side-op que é completado dentro de Metal Gear Solid V: The Phantom Pain.

Somos nós que atribuímos significado a sua jornada de vingança. Todos podemos ser Big Boss.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria

All Comments