Presidente da Konami confirma em entrevista foco nos games para mobile

Declaração é parte de uma entrevista concedida em japonês e traduzida para o inglês.

  • por em 14 de maio de 2015

O diretor e presidente da Konami Hideki Hayakawa afirmou em recente entrevista que a desenvolvedora de Metal Gear Solid e PES, entre outros grandes projetos, voltará suas atenções fortemente para os jogos em dispositivos móveis. A afirmação é parte de um debate no fórum do site NeoGAF, que postou frases de uma conversa entre o executivo e o site jasponês jin115.

Em um trecho da conversa Hayakawa teria afirmado que "daqui para frente os mobiles estão no centro [das decisões]", atestando que deverá expandir agressivamente os negócios nessa área. Em outro momento, o diretor reforça essa ideia, ao observar que a experiência com games "espalhou-se para um grande número de plataformas, mas no fim das contas, a plataforma sempre mais próximo de nós são os dispositivos móveis. É no mobile que se encontra o futuro de jogos".

Essa nova postura explicaria em parte as recentes polêmicas geradas pelo comportamento incomum da empresa, como os boatos ainda não confirmados sobre o afastamento de Hideo Kojima, criador da série Metal Gear Solid, ou a retirada das ações da bolsa de valores de Nova York.

Embora a decisão da empresa possa ser vista como positiva do ponto de vista financeiro, entendendo que as projeções para o mercado de entretenimento digital parecem mais consistentes no campo dos tablets e smartphones, sua retirada do mercado de consoles e PCs causa grande comoção entre os jogadores e apreensão em relação a estas plataformas. A intenção de migração, no entanto, não é um fato isolado, como demonstram, por exemplo, as declarações dos executivos da Ubisoft, que confirmaram um crescimento de aproximadamente 97% nesse modelo de negócios no último ano fiscal, gerando cerca de 1/4 das movimentações financeiras e lucro da empresa.

Ainda que aparentemente a Konami vá manter a série Metal Gear Solid e a franquia futebolística PES, estas informações sugerem que a empresa está a um passo de jogar a toalha.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria