Primeiras impressões sobre o game YouTubers Life. Por Yasmin Amaral, blogueira

O jogo que simula a vida de YouTuber foi lançado no dia 18 de maio de 2016. Podemos dizer que se enquadra perfeitamente num desses games apaixonantes em que você fica horas na frente do computador completamente só. 

Foto: Divulgação

A referência mais recente que consigo lembrar é o jogo Game Dev Tycoon, lançado pela Greenheart Games em 2012, que também segue a pegada dos jogos RollerCoaster Tycoon e Transport Tycoon do projetista Chris Sawyer, dos anos 90. Apesar da customização bem semelhante ao The Sims, em pouco tempo se percebe que o foco de YouTubers Life é outro.

A mecânica consiste em acompanhar o personagem enquanto ele cresce como um vlogueiro de sucesso. Ou seja, é preciso acompanhar o crescimento pessoal, passando desde provas na escola, trabalhos esporádicos, comendo e dormindo regularmente e ítens são desbloqueados ao longo do jogo.

O game é bastante completo: Existem festas, convenções, lançamentos de filmes e pessoas com as quais você deve se relacionar para ter um boa vida profissional e futuramente empregados de confiança. Essa é uma das principais cobranças e o chat aparece o tempo todo. Você precisa se relacionar e não se esquecer de ter amigos. Um dos desbloqueios é o de “vídeo com colaborador”, em que você pode gravar um gameplay com um amigo. Para isso é necessário ter um.

O começo é a parte mais difícil, pois a agenda escolar deve ser conciliada diretamente com as atividades de vlogger, senão a sua mãe virtual pode ficar um pouco raivosa. Além desse fator, o dinheiro que entra com vídeos é pouco, para suprir essa carência o personagem deve trabalhar como entregador de jornal, limpador de sapatos ou cuidando de seus avós, todos os trabalhos pagam menos de US$ 40. Parece pouco, mas serve para a vida de um estudante.

Quando você consegue sua independência, finalmente muda para uma república onde os gastos aumentam. Isso se soma com as despesas da compra de jogos e equipamentos, o aluguel que deve ser pago em dia e a comida, que agora é paga com o seu próprio dinheiro.

Os jogos comprados virtualmente pelo seu personagem devem ser recentes, para que o hype seja maior por parte do público e os equipamentos como CPU, monitor, webcam, microfone, headphone e pacote de edição estejam constantemente atualizados. Eles melhoram a qualidade do vídeo, o que gera mais comentários positivos para o seu canal.

Durante o jogo alguns desafios são lançados como: Alcançar 50 mil cadastros no canal ou manter a amizade com os seus contatos. Os contratos de trabalho, também encontrados no Game Dev Tycoon, são para diferentes consoles e geralmente pagam bem, além de a empresa mandar o game à ser avaliado gratuitamente.

Ainda não sei qual o limite de crescimento dentro do YouTubers Life, mas sei que a casa própria fica cada vez maior e cheia de peculiaridades. Dentre os ítens desbloqueados estão roupas de super heróis e outros fan services bem nerds.

O aspecto ruim do jogo é que o dia e noite não são bem definidos, o que desorganiza um pouco os horários de dormir e de trabalhar e isso não implica em nada nos trabalhos oferecidos. Ou seja, você pode ir limpar sapatos às duas da manhã, mas continua sendo excelente para os produtores de conteúdo do YouTube.

O jogo dá uma perspectiva sobre o que é ser um vlogger de sucesso com prioridades de uma pessoa normal, que precisa se relacionar, comer, dormir bem e trabalhar quando necessário.

Yasmin Amaral é autora do blog Metal On Metal e colunista no site Imprensa do Rock. Natural de São Paulo, atualmente estuda Análise de Sistemas e é apaixonada por música e games, principalmente os de tabuleiro.

Acompanhe Drops de Jogos no Facebook e no Twitter.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Indústria