Você pode viajar entre planetas em Starfield e isso demora muito, confirma Todd Howard

Demora horas

Alanah Pearce

Alanah Pearce. Foto: Reprodução/Twitch

O jogo Starfield foi projetado para manter a superfície dos planetas e o espaço entre eles separados, mas é possível voar diretamente para outro planeta. No início deste ano, o chefe da Bethesda Game Studios, Todd Howard, confirmou ao IGN que Starfield não permite voar perfeitamente do espaço para o planeta.

Ele insistiu que “isso não é tão importante para o jogador” para justificar o trabalho de engenharia envolvido. “As pessoas perguntam: ‘Você pode pilotar a nave diretamente até o planeta?’ Não. Decidimos no início do projeto que a superfície é uma realidade, e então, quando você está no espaço, é outra realidade”, disse Howard.

“Se você realmente tentar gastar muito tempo projetando esse meio-termo, assim, você gastará muito tempo (em algo) que não é tão importante para o jogador”, argumentou Howard. “Então, vamos garantir que seja incrível quando você está na superfície e incrível quando você está no espaço, e que essas realidades tenham a melhor aparência possível”.

O resultado é que Starfield é “mais Mass Effect do que No Man’s Sky” quando se trata de exploração espacial, mas isso não impediu a streamer e escritora da Sony Santa Monica, Alanah Pearce, de testar os limites espaciais de Starfield.

Numa transmissão de fim de semana na Twitch, Pearce rumou para Plutão, apontando sua nave diretamente para a versão virtual do planeta anão de Starfield. “Estou deixando minha nave funcionando enquanto durmo para ver se eventualmente colidirei com Plutão de alguma forma, pela ciência”, disse Pearce em um post no Twitter/X.

LEIA MAIS

1 – Rádio Geek resenha Street Fighter 6 em vídeo

2 – Sangue, Suor e Pixels é o melhor livro sobre história de desenvolvimento de jogos. Por Pedro Zambarda

Alanah Pearce

Alanah Pearce. Foto: Reprodução/Twitch

Plutão foi escolhido por causa de sua órbita lenta, tornando-o um ponto relativamente estável para mirar no espaço. Ainda assim, Plutão se movia o suficiente para que Pearce tivesse que corrigir o curso a cada 30 minutos ou mais, ajustando um cronômetro para acordar.

Sete horas depois, Plutão apareceu no horizonte. O que aconteceu a seguir foi um anticlímax. À medida que Plutão se aproximava, sua forma pixelizada se apresentava.

“Não acredito que estou prestes a tocar Plutão”, disse Pearce. Mas não existe nenhuma representação realista de Plutão viajando dessa maneira. Plutão, ao que parece, nada mais é do que uma imagem cinzenta e em blocos no espaço, e Pearce acabou por viajar diretamente através dela. Não há animação de pouso forçado. É tudo uma ilusão. “Não sei o que fazer”, disse Pearce, perplexa. Qual será a próxima descoberta? Em uma resposta no Twitter/X, Pearce se perguntou se é possível voar entre sistemas.

Com informações do IGN.

LEIA MAIS NO DROPS DE JOGOS

Veja os vídeos da semana acima.

Conheça mais sobre o trabalho do Drops de Jogos acima.

Veja mais sobre a Geek Conteúdo, a produtora da Rádio Geek, parceira do Drops de Jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments