Museu virtual de games lança Retro Machine, linha do tempo de consoles e jogos

Museu virtual Bojogá completa 10 anos com acervo crescente.

  • por em 14 de julho de 2020

O Bojogá, museu virtual de jogos eletrônicos, idealizado no Ceará para a preservação da memória da cultura dos games, está completando 10 anos.

Para comemorar a data, o museu lança o recurso Retro Machine, exibição virtual da linha do tempo dos games na plataforma.

O curador da exposição e pesquisador Daniel Gularte, deu início a um acervo de games em 2007, na forma de uma coleção particular, derivada de seus estudos e publicações sobre jogos. Em 2010, chegou o museu online, que agora ganha a ferramenta extra para pesquisa.

“A partir de 2010 procurei tirar proveito do principal ativo do projeto: memórias afetivas que podem fazer as pessoas se aproximarem, e vi que um museu tem essa proposta. Fazer a gente refletir junto enquanto humanidade. Vi que os games aproximam ao invés de isolar as pessoas”, explicou o criador do museu, em conversa com o Drops de Jogos.

A narrativa museológica do Retro Machine vem somar a estas intenções e apresenta a história dos games, em uma exibição virtual interativa entrelaçando as linhas do tempo históricas de vários temas, como os videogames, jogos, fliperamas e os fatos marcantes da linguagem no Brasil e no mundo.

“Somos um museu e nosso papel principal é preservar os registros e a memória afetiva dessa linguagem tão rica”, destaca o site do museu, em sintonia com as palavras do curador. O diferencial do museu está em seus programas, que envolvem não somente exibições e mostras culturais, mas pesquisa e educação na área de games.

“O brasileiro precisa valorizar muito mais o que é feito em seu país, em sua cidade. Por isso percebi que montar o projeto de maneira virtual seria democrático, pleno, sem merchandising e sem comércio, preservando a identidade de pessoas como eu e você, que amamos os jogos e nossa infância”, enfatizou Gularte na entrevista.

Para acessar o Retro Machine, basta clicar no link da ferramenta no museu virtual Bojogá.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.