Conheça algumas tecnologias de apoio à Copa do Mundo 2022

  • por em 24 de novembro de 2022

Copa do Mundo 2022: FIFA VAR Room - Imagem: Reuters

O mundial de futebol já deu o tiro de meta e traz inúmeras inovações para os fãs do bate-bola.

Conheça algumas das tecnologias de ponta utilizadas na Copa do Mundo da FIFA Catar 2022.

Sensor de bola de futebol
A bola oficial da partida, fabricada pela Adidas, conta com sensores de movimento em seu interior. O sensor indica a localização precisa da bola 500 vezes por segundo, de acordo com a fabricante, ajudando os árbitros durante as partidas.

A bola será usada em todas as 64 partidas do torneio e enviará informações para um centro de dados, que os árbitros podem usar para rastrear estatísticas e monitorar o jogo.

Árbitros assistentes de vídeo
Um elemento básico de assistir a qualquer jogo de futebol é reclamar da arbitragem.

Neste torneio, os dirigentes tentarão minimizar a controvérsia usando árbitros assistentes de vídeo, que usam algoritmos e outros dados para ajudar os juízes em campo a tomar decisões sem margem para erros.

A tecnologia foi testada na Copa do Mundo de 2018 e ganhou melhorias para os jogos deste ano.

O sistema contará com câmeras de rastreamento montadas sobre os estádios para rastrear a bola com sensores, além de 29 pontos para a captura de dados no corpo de cada jogador, 50 vezes por segundo, para ampliar a precisão das informações.

Os registros serão inseridos em um sistema de inteligência artificial, que ajudará os árbitros a tomar decisões inequívocas durante o torneio.

Um alerta automático enviará ping aos árbitros dentro de uma sala de operação de vídeo, que validará a decisão antes das definições do árbitro, indica a Fifa.

Resfriamento do estádio
As temperaturas no Catar podem ficar sufocantemente quentes durante o período de realização da Copa do Mundo.

Para contornar o problema, a sede da Copa conta com um sistema de resfriamento avançado.
De acordo com a FIFA, ele foi projetado por Saud Abdulaziz Abdul Ghani, um professor do Catar, usualmente chamado de “Dr. Gelado”.
O ar é sugado para tubos e aberturas no estádio, resfriado, filtrado e empurrado para fora novamente, criando uma bolha de ar resfriado dentro do estádio, onde os sensores ajudarão a regular a temperatura local.

Usando isolamento e um método alimentado por tecnologia chamado “resfriamento pontual” – que permite que o resfriamento ocorra apenas onde as pessoas estão – os estádios serão mantidos entre 18 a 23 graus Celsius.

Câmeras e algoritmos
Os centros de comando e controle no Catar contarão com mais de 15 mil câmeras para rastrear os movimentos das pessoas durante os jogos, disseram autoridades do Catar à agência France-Presse em agosto.

As câmeras estarão espalhadas pelos oito estádios. No Estádio Lusail, que comporta mais de 80 mil pessoas e onde será realizada a partida final, será utilizada tecnologia de reconhecimento facial para rastrear os torcedores, segundo a Al Jazeera, o que traz alguma preocupação com a privacidade, admitem.

Além disso, algoritmos serão usados ​​para tentar evitar tumultos no estádio, como o de uma partida de futebol na Indonésia no mês de outubro, que ocasionou a morte de mais de 130 pessoas, de acordo com os noticiários.

A equipe de comando e controle, informam as autoridades do Catar, será capaz de prever os padrões de multidão usando algoritmos que operam a partir de vários pontos de dados, incluindo vendas de ingressos e locais por onde as pessoas entram.

Quem vai ganhar a Copa?
O Alan Turing Institute, da Grã-Bretanha, criou um algoritmo para prever qual time tem mais chances de vencer a Copa do Mundo.

O algoritmo é baseado em um sistema anteriormente utilizado, chamado AIrsenal, desenvolvido em 2018 para o advento da Fantasy Premier League, informou o instituto.

Produzido a partir de um conjunto de dados do GitHub, um site para compartilhamento e colaboração em códigos de computação, que rastreou os resultados de todas as partidas internacionais de futebol desde 1872, o modelo trouxe amparo sistêmico às partidas da Copa do Mundo e jogos disputados recentemente. O recursos foi executado cerca de 100 mil vezes.

Nos resultados, segundo o instituto, o Brasil saiu na frente, vencendo o torneio em cerca de 25% das simulações. A Bélgica saiu vitoriosa em cerca de 18% das vezes e a Argentina, que perdeu o primeiro jogo por 2×1 para a Arábia Saudita, em 22 de novembro, apresenta menos de 15 por cento de chances de se tornar a Campeã dessa edição do mundial.

Fonte: The Washington Post

Imagem: Reuters

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments