Acusado por assédio à menor, jogador de Counter-Strike Pancc diz: ‘errei feio’

Onda de exposições do dia 5 de janeiro

Pancc admitiu ter assediado sexualmente menor de idade. Divulgação

Pancc, jogador profissional de Counter-Strike: Global Offensive da yng Sharks Esports, foi acusado por assédio sexual a uma jovem de 16 anos.

Essas acusações foram feitas pela própria vítima no dia 5 de janeiro de 2021 que, através de prints retirados de conversas entre os dois, deixam explícito que o atleta de 22 anos sabia que estava conversando com uma menor. Em posts divulgados nas redes, Giselle Esquina diz que tinha apenas 15 anos quando aconteceu a conversa entre os dois, e que isso não o impediu de fazer suas investidas sobre a jovem. “Tô meio com receio também, não sei se é bad por causa da idade. Sei lá. Não sabia que você era tão nova. Acho que é bad, né? Queria transar com você”, escreveu Pancc durante a troca de mensagens.

Hoje, com 16 anos, Giselle tornou público o acontecimento pois queria alertar outras mulheres que quisessem se relacionar com Pancc. “Espero que vocês entendam que todo “exposed” não é uma forma de “ganhar biscoito”, e sim uma forma de alertar as pessoas sobre situações que são jogadas embaixo dos panos”, escreveu Giselle. Pouco tempo depois, o jogador confirmou a autenticidade dos prints e ocorrido através de uma nota em seu Twitter. “Infelizmente eu errei e tô sendo 100% sincero vindo falar aqui, e tô querendo evoluir e não cometer mais nenhum tipo de erro, queria pedir desculpa por ter sido invasivo, por ter agido de uma maneira ruim com qualquer pessoa, eu tô num processo de evolução e to querendo ser uma pessoa melhor”, escreveu Pancc.

Em nota, o jogador reforçou que nada passou das conversas e que nunca teriam se encontrado pessoalmente e que estaria profundamente arrependido. A Sharks, atual time de Pancc, disse que abriu “processo interno para apurar todos os acontecimentos, e se posicionará publicamente quando o tiver concluído”.

Veja a íntegra da nota do jogador:

“Oi gente, tô vindo escrever aqui a respeito de uma parada muito bad que rolou e de um erro feio que eu cometi, sim eu errei e foi péssimo isso, me sinto uma pessoa péssima, a respeito de conversar com uma menina que era menor de idade, a gente se conheceu pelas redes sociais e conversamos só que eu falei coisas erradas e que não se deve falar pra ninguém, acelerei muito o nível da conversa e tenho total noção de que isso é algo errado, apesar de ter vindo a público agora, isso já fazia um tempo que aconteceu, e eu paguei consequências na minha vida e muita gente conversou comigo e me alertou, eu perdi o contato de pessoas muito importantes pra mim, e tô tentando ser melhor e agir do jeito certo.

Sim eu errei feio, esse tipo de coisa não se faz, eu queria MUITO pedir desculpa pra vocês, pras pessoas que eu gosto e vão ficar chateadas comigo, eu estou tentando melhorar e ser uma pessoa melhor, ser mais coerente, saber me portar como alguém maduro.

Infelizmente eu errei e tô sendo 100% sincero vindo falar aqui, e tô querendo evoluir e não cometer mais nenhum tipo de erro, queria pedir desculpa por ter sido invasivo, por ter agido de uma maneira ruim com qualquer pessoa, eu tô num processo de evolução e to querendo ser uma pessoa melhor.

Só queria esclarecer um ponto aqui também (que não diminui os fatos, mas é importante esclarecer) de que não passou de conversa nas redes sociais, nunca nos vimos e acabou por isso mesmo.

Mais uma vez gente, desculpa mesmo por ter decepcionado vocês, eu odeio saber que isso aconteceu e q eu cometi esse erro, me arrependo muito por isso”.

Com informações de Lucas Benício na ESPN.

LEIA MAIS – Filho de catador de latinhas emociona jogador em partida de Free Fire

Mantendo a sanidade mental em tempos de pandemia. Por Thais Chioqueti, psicóloga

Opinião – Sim, Hideo Kojima é um desenvolvedor de jogos de esquerda. Por Pedro Zambarda

Veja o vídeo da semana acima.

Conheça mais sobre o trabalho do Drops de Jogos acima.

Veja mais sobre a Geek Conteúdo, a produtora da Rádio Geek, parceira do Drops de Jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.