Desenvolvedores criticam o BIG Festival 2022 ao Drops de Jogos

Importantes colocações

BIG Festival 2022

BIG Festival 2022. Foto: Divulgação

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos.

Após publicação da reportagem do Drops de Jogos, alguns desenvolvedores enviaram avaliações sobre o BIG Festival 2022, evento mais relevante da cena brasileira de games e que tirou o “Indie” do nome. Concordamos em publicar esses depoimentos em anonimato, preservando a identidade dessas pessoas.

Primeiro depoimento:

Pontos positivos

Patrocínio da Magalu Game em relação ao ACESSO ao evento. O evento é super caro, não só a viagem e alimentação. Mas o ticket do evento, da rodada de negócios, por R$ 1000,00 desestimula muito o pessoal a participar. Outros eventos possuem bolsas, caravanas, etc. O patrocínio da Magalu foi excelente em relação a isso e foi o fator que mais estimulou o pessoal mais jovem a vir, pois eles DERAM o passe para todo mundo que entregou jogo na jam deles. Adoraria que sempre mantivessem essas formas alternativas de acesso. Bola dentro da Magalu e BIG!!!

Estande da DX: foi show a dinâmica da DX em abrir uma fila pra pitch ao invés de foco em reuniões em portas fechadas. Deu muita visibilidade pro processo, também achei que pro jovem foi um ótimo formato, pois acolheu até quem não tinha o passe.

Formato do Festival: bem melhor o formato das TVs lá em cima e laptops embaixo. Melhor que muito evento internacional!!!

A palestra da abertura, pela Abra sobre a pesquisa de mercado: fantástico esse trabalho, tinha que ser mais valorizado. Na verdade, as palestras em si estavam ótimas, exceto as de cripto.

Pontos a melhorar

Já foi falado da comida com preço muito inacessível, falta de microondas, etc. Sinceramente, isso realmente é um fator limitante pensando em um evento que a gente fica MORANDO durante 3 a 4 dias. Nós resolvemos, por exemplo, pedindo comida via aplicativo pra galera e pedindo pra entregar na porta do evento. Mas é uma solução paliativa e que eu vi alguns até criticando por não “apoiar o evento”. Mas, sinceramente, eu acho que uma lição desses dois anos sem eventos que a área deveria ter aprendido melhor é em relação a melhorar o acesso à formas alternativas de alimentação pensando EXATAMENTE no público. Em 2022 ter uma pipoca a R$ 20,00 é estranho, acho que a sociedade já deveria ter evoluído essa parte…

Senti que a cerimônia de premiação deixou de ser o ponto central do evento. Acho que poderia ter sido mais divulgada, preparada, etc. Teve atraso no início, não teve day after, demonstrando os jogos que venceram de maneira mais clara. Também sinto falta de um comentário mais aprofundado do processo que o júri funciona. Apenas citar o nome dos juízes não faz sentido. Hehehe, e meus alunos escreveram claramente algo sobre a pegada que foi dada no início, no discurso de abertura e na cerimônia, a fala do Gustavo. Ipsis literis, o que um deles me disse: “achei cringe qdo o cara falou o ngc de “pra quem tava reclamando que o evento não é mais indie olha ae”, tipo pareceu que tava preenchendo a cota p ngm reclamar”. Senti que faltou certa sensibilidade do Gustavo às críticas recebidas…Pior que cringe é a palavra certa mesmo, hehehehe.

Refletir melhor sobre presença de cripto / NFTs e outros “temas polêmicos”. Eu acho que esse diálogo tem que ser feito. Meus alunos são bem espertinhos em relação a isso e entenderam o que era “questionável”. Mas acho que não podemos deixar de levantar a questão ética, financeira, etc em TODOS os momentos. Por outro lado, senti falta de mais palestras que levantassem qualquer outra questão polêmica (condições de trabalho, assédio, etc). Pensando na GDC, a trilha de advocacy sempre tem essa pegada, tenho certeza que teria espaço pra algo parecido. Dentro do BIG mesmo onde estava o Big Soapbox que tinha sido tão legal nos anos anteriores – https://event.bigfestival.com.br/talks/8/189/?permanent_intro_close=true / https://www.youtube.com/watch?v=zmuYU8gI9eE ??? Tem que voltar essa palestra!

Mas em geral eu ADOREI o evento, fiquei feliz que teve presença enorme da galera e também de um novo público, achei que foi ÓTIMO!!

LEIA MAIS

1 – Elden Ring, uma resenha. Por Pedro Zambarda

2 – Horizon Forbidden West, uma resenha. Por Pedro Zambarda

BIG Festival 2022

BIG Festival 2022. Foto: Divulgação

Segundo depoimento:

Minha tristeza nesse BIG foi o espaço dos jogos que estavam concorrendo. Muito triste o downgrade.

Nosso jogo que era mobile e estava concorrendo como melhor jogo infantil não tinha como ser jogado sem falar com alguém do staff para trazerem um device. (O que obviamente ninguém faria no evento)

Mesmo depois da premiação, com o jogo tendo ganho não tivemos nenhum update disso.

Mas fora isso fiquei surpreso até que positivamente.

Colocando lado a lado com edições anteriores tínhamos um espaço dedicado para cada jogo o que era muito melhor.

O staff era melhor preparado para cuidar daquele conjunto de jogos e tínhamos as instruções de como jogar junto ao jogo.

Nosso jogo além de não estar disponível as tablets que tinham não estavam com o jogo destravado.

Isso mesmo tendo mandado dois formulários para a organização do evento meses antes.

Após a premiação não tinha nenhum indicação de quais jogos tinham ganho também. O que é uma pena.

LEIA MAIS NO DROPS DE JOGOS

O que eu achei do BIG Festival 2022. Por Pedro Zambarda

Veja os vídeos da semana acima.

Conheça mais sobre o trabalho do Drops de Jogos acima.

Veja mais sobre a Geek Conteúdo, a produtora da Rádio Geek, parceira do Drops de Jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Richard Borges

Fora o fato de que fizeram uma página com promoções de jogos nacionais, dizendo q os jogos teriam q estar em promoção, mas lá haviam vários sem desconto, e o evento abandonou qualquer tentativa de divulgar a página.