O Hobbit e mais sete games passam a integrar acervo do Arquivo Nacional da Austrália

O National Film and Sound Archive of Australia (NFSA) apresentou seus planos na abertura da exposição Game Masters da ACMI.

  • por em 24 de novembro de 2019

Imagem: reprodução

O arquivo nacional de audiovisual da Austrália anunciou recentemente a inclusão de jogos de videogame como obras para preservação pela primeira vez, em um lote inicial de oito experiências interativas consideradas histórica ou culturalmente significativas.

Para Jan Müller, executivo-chefe da NFSA (National Film and Sound Archive of Australia), a indústria de jogos é tão significativa quanto a cinematográfica e musical, portanto, “faz sentido ter pelo menos uma opinião sobre jogos ou certos jogos que fazem parte da coleção nacional”.

“Estamos preocupados não apenas com o passado e o presente, mas também com o futuro de nossa herança audiovisual, para que outros possam interagir com ela, aprender, experimentar, criar com ela”.

O National Film and Sound Archive of Australia (NFSA) mantém mais de três milhões de itens que documenta, preserva e compartilha. Na abertura da exposição Game Masters da ACMI, em Canberra, em setembro passado, a NFSA apresentou seus planos de expandir a coleção com a inclusão dos games a seu acervo.

Os oito primeiros jogos a serem adicionados ao arquivo nacional são:

O Hobbit, de 1982, uma aventura de texto ilustrada baseada no romance de Tolkien, produzida em Melbourne, pelo estúdio Beam Software.
Halloween Harry, de 1985, jogo de aventura e plataformas posteriormente renomeado para Alien Carnage.
Shadowrun, de 1993, adaptação da Nintendo para Super NES a partir do RPG de mesa futurista.
LA Noire, de 2011, um drama policial ambientado em Hollywood da década de 1940, reconhecido por sua tecnologia de captura facial.
Submerso, de 2015, jogo de exploração que se passa após uma inundação cataclísmica no mundo.
Hollow Knight, de 2017, uma aventura de ação subterrânea onde todos os personagens são insetos.
Florença, de 2018, que narra uma história de amor sem palavras utilizando mini-games com tela sensível ao toque.
Espire 1: VR Operative, de 2019, um ambicioso projeto para trazer um jogo de ação furtivo tático para a tecnologia VR.

Fonte: The Sidney Morning Herald

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments