Opinião: Por que Elden Ring foi o game que simboliza 2022 para mim?

Um grande título

Elden Ring

Elden Ring. Foto: Divulgação

Eu não terminei Elden Ring. Eu não jogava games soulslike. Jogo difícil me faz ter vontade de atirar o controle na parede. Elden Ring é difícil. Mas Elden Ring não é assim. Ele democratizou o game de grande dificuldade. E é difícil largar dele nas primeiras seis horas.

Quando seu personagem maculado chega nas Terras Intermédias, em Limgrave, é impossível não ficar maravilhado com a Térvore e o mundo em que as pessoas não deveriam morrer. A guerra em torno da Rainha Marika, o anel prístimo seus filhos semi-deuses e a degradação das regiões mostram tanto o potencial de Hidetaka Miyazaki no design quanto o roteiro de George R. R. Martin.

Sim, o Martin das Crônicas de Gelo e Fogo e da série televisiva Game of Thrones.

Fãs de RPG vão ter diversão para horas e horas com Elden Ring. Mais do que até Dark Souls. As classes mágicas, de fé e de ataques físicos funcionam bem. Há o samurai que retoma algumas das boas sequências de batalha de Sekiro.

LEIA MAIS

1 – God of War Ragnarök: entre deuses e monstros. Uma resenha

2 – FIFA 23, o último de seu nome, uma resenha. Por Pedro Zambarda

Elden Ring

Elden Ring. Foto: Divulgação

Os bosses são desafiadores. De dragões gigantes até monarcas decadentes. Por isso, o fator replay de ER torna o jogo mais divertido do que o normal. Há uma comunidade viva em torno do game.

Jogo foi lançado em 25 de fevereiro de 2022. Foi um baita presente no dia do meu aniversário.

Por todas essas razões, Elden Ring é o jogo de 2022 para o nosso site.

LEIA MAIS NO DROPS DE JOGOS

Veja os vídeos da semana acima.

Conheça mais sobre o trabalho do Drops de Jogos acima.

Veja mais sobre a Geek Conteúdo, a produtora da Rádio Geek, parceira do Drops de Jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments