Microsoft fecha Mixer e inicia parceria com Facebook Gaming

Mudança de rota

Mixer. Foto: Divulgação

Microsoft vai fechar o Mixer, seu serviço de streaming de jogos, em 22 de julho.

A gigante de tecnologia também anunciou uma parceria com o Facebook Gaming, para onde irão todos os parceiros e streamers da plataforma. Os streamers que hoje estão no Mixer passarão para o Facebook Gaming a partir desta segunda-feira (22) e não estarão mais no Mixer dentro de um mês.

Ao The Verge, Phil Spencer, chefe da divisão de games da Microsoft, afirmou que parte da decisão foi a dificuldade para competir em escala com concorrentes como Twitch, YouTube e o próprio Facebook. “Começamos muito atrás, em termos de como os espectadores ativos mensais do Mixer eram comparados com outros grandes concorrentes.” A estratégia de parceria com o Facebook envolve o xCloud, serviço de jogos por streaming em desenvolvimento na Microsoft. A ideia é que o xCloud tenha integrações com o Facebook similares as que o Stadia, do Google, tem com demais serviços da gigante das buscas, como o YouTube.

Mixer tentou contornar o problema de audiência assinando contratos de exclusividade com grandes streamers de plataformas concorrentes, como Tyler “Ninja” Blevins e Michael “shroud” Grzesiek, dois dos maiores streamers do mundo. Segundo o The Verge, Ninja, shroud e as demais estrelas do Mixer estão livres para transmitir em qualquer plataforma. Segundo o consultor Rod Breslau, Ninja e shroud receberam do Facebook o dobro do valor pago pela Microsoft pela migração para o Facebook Gaming. Ambos recusaram, o que levou a Microsoft a pagar a rescisão de contrato – US$ 30 milhões para Ninja, e US$ 10 milhões para shroud.

A partir de 22 de julho, as páginas do Mixer serão redirecionadas para o Facebook Gaming.

Parceiros da plataforma poderão entrar para o programa “Level Up” do Facebook Gaming. Espectadores do Mixer que pagam inscrições de canais do Mixer receberão cartões de presente do Xbox.

Vimos no The Enemy.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.