Investidores devem migrar para o mercado de e-Sports no Brasil neste ano, afirma especialista

Os valores movimentados pelo mercado de e-Sports têm chamado a atenção de grandes grupos de investidores.

  • por em 13 de fevereiro de 2020

Imagem: Dot e-Sports

O advogado especialista em esportes eletrônicos André Feher, profissional do escritório CSMV Advogados, afirma que 2020 deve se caracterizar pela entrada dos investidores nos negócios de e-Sports no Brasil.

Para ele, os valores movimentados pelo mercado de e-Sports no país e no mundo têm chamado a atenção de grandes grupos de investidores, inclusive multinacionais.

“Só no Brasil, que é o terceiro maior mercado do mundo e possui uma audiência de 7.6 milhões de entusiastas, [o esporte eletrônico] envolve US$ 1,5 milhões de venda de jogos, cerca de R$ 6,5 milhões de por ano, número que vem crescendo em progressão geométrica”, explicou o profissional.

“Esse interesse pode motivar, além de movimentos de M&A, fusões e aquisições entre empresas e equipes, naming rights de arenas e gaming houses, novas ligas, entre outros, ao atrair empresas interessadas em ligar suas marcas à indústria de e-Sports”, comentou André Feher, Mestre em Direito Desportivo Internacional, destacando que esta injeção de dinheiro deve ser direcionada para a organização de eventos, patrocínio de clubes e de atletas, entre outras áreas emergentes desse mercado.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.