Análise: Cinema parece mais importante que Games no concerto híbrido da Orquestra de SP

Apresentação da Osesp com games e filmes

  • por em 10 de julho de 2021

Cinema parece mais importante que Games no concerto híbrido da Orquestra de SP. Foto: Kao Tokio/Drops de Jogos

A Osesp, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, está realizando na capital paulista um concerto em três edições com trilhas de filmes de sucesso e composições musicais de games clássicos, entre os dias 8 a 10 de julho.

A convite da Rádio Geek, a equipe do Drops de Jogos acompanhou a primeira noite do evento. Se, a princípio, os jogos digitais merecem a atenção do público erudito porque “saem com trilhas fantásticas de orquestra sinfônica”, como afirmou o maestro e gamer Wagner Polistchuk, fica aos fãs da linguagem a impressão que o programa parece privilegiar as trilhas sonoras dos filmes no concerto.

Conduzida com intervenções da cineasta Marina Person, a apresentação divide-se em dois momentos, sendo o primeiro dedicado aos filmes e a parte final do programa composta por trilhas de games. Para cada compositor de temas cinematográficos, a apresentadora trazia informações complementares e instigantes, que destacavam o trabalho musical para cada obra, como a criação da trilha clássica da cena do chuveiro em Psicose, de Alfred Hitchcock, ou o fato de John Williams ser o compositor com mais prêmios e indicações na história do Oscar.

Ao exibir o tema de Gladiador, criado por Hans Zimmer, no entanto, a produção virou a chave, entrando sem detalhamentos na trilha de Call of Duty – Modern Warfare 2, também composta pelo músico para o game de 2009. Após a apresentação do tema, Marina Person explicou que se tratava de um mesmo criador para as duas obras, informação que caberia perfeitamente na descrição inicial sobre o artista.

Neste ponto, quase uma hora da apresentação já havia se passado, restando pouco mais de meia hora da programação para as trilhas de games. A solução encontrada foi um pot-pourri, isto é, uma compilação dos temas criados para jogos. A condução das trilhas de forma sequancial, sem intervalos, no entanto, impediu que a plateia se manifestasse com os merecidos aplausos à rica performance da orquestra.

A produção, obviamente, tem muitos méritos e se mostra uma primeira iniciativa bem vinda para entusiastas de criações tão inspiradas como os temas de Halo 3, Final Fantasy e Warcraft, também presentes no programa, entre outras, mas o caminho encontrado para unir trilhas de cinema e games soou desequilibrado e possivelmente frustrante para quem se dirigiu à Sala São Paulo em busca do reconhecimento da Música Clássica ao rico universo dos jogos digitais.

Quem quiser conferir a apresentação com os devidos protocolos de segurança, confortavelmente instalado no sofá, pode acessar o canal de YouTube da Orquestra, que irá compartilhar gratuitamente a apresentação da sexta, dia 9 de julho.

LEIA MAIS – Conheça 17 empresas que estão definindo o futuro dos games brasileiros

Fatec’s Out é o game brasileiro de 2020 segundo a pesquisa Drops de Jogos/Geração Gamer

Opinião – Death Stranding é sobre futuro; Cyberpunk 2077 é passado. Por Pedro Zambarda

Veja o vídeo da semana acima.

Conheça mais sobre o trabalho do Drops de Jogos acima.

Veja mais sobre a Geek Conteúdo, a produtora da Rádio Geek, parceira do Drops de Jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments