Marvel’s Spider-Man Remastered, uma resenha. Por Pedro Zambarda

Marvel’s Spider-Man sai da exclusividade no PlayStation e vira título no PC

O cabeça-de-teia em 2022

O cabeça-de-teia em 2022. Spider-Man. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

Por Pedro Zambarda, editor-chefe do Drops de Jogos.

O Drops de Jogos recebeu uma cópia de Marvel’s Spider-Man Remastered, para PC, antecipada no final de julho da Sony. Jogamos o game quando era exclusivo para PlayStation 4, em 2018, numa viagem até Los Angeles, nos EUA, para cobrir a E3. É um privilégio enorme poder jogar esse port para computador em 2022 com lançamento previsto para 12 de agosto.

LEIA MAIS

1 – Elden Ring, uma resenha. Por Pedro Zambarda

2 – Journey, uma resenha 10 anos depois. Por Pedro Zambarda

O cabeça-de-teia em 2022

O cabeça-de-teia em 2022. Spider-Man. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

E como está este jogo neste ano?

Ele está exatamente como sua versão de 2018. Mas sem os loadings chatos do PS4, um sistema antirreflexo mais otimizado para permitir o seu deleite gráfico – com direito a driver novo da NVIDIA para melhorar a sombra e a definição. Continua gostoso e simples balançar nas teias, embora esse esforço se torne repetitivo no terço final do game.

Há toda aquela diversidade de trajes, incluindo o cabeça-de-teia de Tobey Maguire, dos filmes do Tom Holland, e o traje do Aranha Escarlate. Aliás, o Scarlet Spider me lembra os tempos que eu consumi a grande, e tenebrosa, Saga do Clone nos quadrinhos canônicos.

GTA de Homem-Aranha

Scarlet Spider

Scarlet Spider. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

Spider-Man

Spider-Man. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

A minha relação com Spider-Man é desde pequeno. Eu colecionei os gibis da Saga do Clone, comprei os VHS da série animada e tive contato com os gibis iniciais dos anos 1960. O Homem-Aranha que foi exclusivo do PlayStation e agora mergulha nos PCs traz todos os elementos para fãs.

E coloca o player numa espécie de “GTA do cabeça-de-teia”.

Você navega por Nova York no traje tradicional e vê uma história se construir em uma roupa mais high tech. E o enredo acerta ao deixar aberto para o jogador enfrentar bandidos que estão assaltando, atirando na polícia e roubando civis. Essas side-quests  tornam-se repetitivas depois de um tempo. Mas enriquecem a experiência de exploração.

Além de enfrentar bandidos comuns, você pode fazer pesquisas para a Oscorp (a empresa de Norman Osbourn, que se torna vilão depois), tirar fotos de monumentos e cumprir até missões ecológicas, reduzindo gases estufa.

Isso dá direito a um cardápio gigantesco de trajes, ajuda o Homem-Aranha a ganhar experiência (bom elemento de RPG) e amplia a jogabilidade do game. Um “autêntico jogo tipo GTA”. Aquele mundo aberto esperto que é linear – mas permitindo que o player se divirta no processo.

O enredo é a parte mais fraca

Spider-Man Remastered

Spider-Man Remastered. Foto: Reprodução/VGC

O enredo desse Spider-Man começa bem, mas ele se perde no meio da história. Conta bem a história de Miles Morales e seu pai, um policial que tem um destino trágico (e o Spider-Man Miles Morales merece uma versão de PC). A Tia May, por outro lado, é uma personagem com pouco carisma pela importância que ela tem na vida do protagonista Peter Parker.

No enredo fraco, há os puzzles para solucionar problemas elétricos em dispositivos digitais. Você mexe na corrente elétrica dos aparelhos e isso consegue ser algo realmente chato de se encarar.

Mary Jane, a agora ex-namorada de Peter, tem um protagonismo interessante como jornalista. J.J. Jameson aparece em um podcast malhando o cabeça-de-teia. Yuri é uma policial interessante. E há a tropa privada da Oscorp, enquanto o Doutor Octopus está fazendo suas pesquisas de laboratório.

É uma história que reúne o melhor dos mundos do Homem-Aranha, mas não é nada desenvolvido.

Scarlet Spider

Scarlet Spider. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

Problemas de localização

Os trajes do Homem-Aranha são muito bons

Os trajes do Homem-Aranha são muito bons. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

O começo do game tem uma versão dublada em português satisfatória nas primeiras duas horas de jogo. Conforme você mergulha em Nova York, não é difícil ouvir frases no idioma inglês. Para um jogo de 2018, seria importante que essas falhas fossem corrigidas num remaster.

Mas o que você pode conferir nessa versão é a tirada das telas de loading e um jogo fluído. Não é um título que exige o máximo da capacidade de um PC Gamer deste ano.

Spider-Man rodando em ultrawide

Spider-Man

Spider-Man. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

No Reddit, imagens vazaram no Reddit em 5 de agosto, dias antes do lançamento. Elas mostram frames do Homem-Aranha rodando em monitores ultrawide, mostrando imagens de Nova York sem distorção. Essa material foi divulgado pelo site Video Games Chronicle.

Mesmo com algumas falhas técnicas, o título é um deslumbre visual. E é bom você saber os requisitos técnicos para rodar essa versão de PC muito bem.

https://twitter.com/C44Alic/status/1555653140527316992?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1555653140527316992%7Ctwgr%5Ea005a10cb919871e9f86c77aef99de448ff13162%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.videogameschronicle.com%2Fnews%2Fleaked-spider-man-screenshots-show-how-it-looks-running-on-pc%2F

Requisitos mínimos:

  • Um processador e sistema operacional de 64 bits
  • SO: Windows 10 64-bit
  • Processador: Intel Core i3-4160, 3.6 GHz ou AMD equivalente
  • Memória: 8 GB de RAM
  • Placa de vídeo: NVIDIA GTX 950 ou AMD Radeon RX 470
  • DirectX: Versão 12
  • Armazenamento: 75 GB de espaço disponível

Recomendados:

  • Requer um processador e sistema operacional de 64 bits
  • SO: Windows 10 64-bit
  • Processador: Intel Core i5-4670, 3.4 GHz ou AMD Ryzen 5 1600, 3.2 GHz
  • Memória: 16 GB de RAM
  • Placa de vídeo: NVIDIA GTX 1060 6GB ou AMD Radeon RX 580 8GB
  • DirectX: Versão 12
  • Armazenamento: 75 GB de espaço disponível
Spider-Man Remastered

Spider-Man Remastered. Foto: Pedro Zambarda/Drops de Jogos

Notas

  • Gráficos: 9,5
  • Jogabilidade: 9
  • Som: 9
  • Replay: 9,5
  • Nota final: 9,25

LEIA MAIS NO DROPS DE JOGOS

O que eu achei do BIG Festival 2022. Por Pedro Zambarda

Veja os vídeos da semana acima.

Conheça mais sobre o trabalho do Drops de Jogos acima.

Veja mais sobre a Geek Conteúdo, a produtora da Rádio Geek, parceira do Drops de Jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments