Sharks suspende jogador de Counter-Strike e o obriga a fazer tratamento médico

Pancc foi acusado de assédio a uma menor de idade

Sharks anuncia a suspensão de pancc após acusação de assédio sexual — Foto: Divulgação/Sharks

Sharks concluiu o processo interno de investigação sobre o jogador de Counter-Strike: Global Offensive Filipe “pancc”, acusado de assédio sexual por menor de idade.

O time anunciou uma suspensão do cenário competitivo para o atleta que pode variar de 4 a 6 meses. Durante o período, ele terá um acompanhamento médico e poderá retornar após laudo. Segundo o comunicado da Sharks, pancc sofrerá sete sanções ao todo, ordenadas por um júri composto de três homens e duas mulheres. A primeira é a suspensão, de 4 a 6 meses, sendo a segunda a obrigatoriedade de um acompanhamento médico, com a escolha do profissional sendo feita em acordo entre a organização e o atleta. Se no prazo de 6 meses o jogador demonstrar falta de vontade ou desinteresse, o contrato poderá ser rescindido.

No período em que estiver suspenso ainda, todo o ordenado será igualado ao de um jogador no banco, com multa de 25% deste ordenado a ser doado para uma ONG que apoie mulheres vítimas de assédio virtual. Por fim, a Sharks anunciou que a reincidência irá determinar a rescisão imediata do contrato.

Leia o comunicado na íntegra:

“Para os yng Sharks, a posição mais fácil, rápida, barata e popular seria a demissão do jogador Pancc, mas entendem que o seu papel social não se coaduna com essa posição. Uma sanção tem naturalmente um carácter sancionatório/de punição, dissuasor para o próprio e para os outros em geral. Mas deve ter acima de tudo um carácter pedagógico e tornar-se num exemplo para a sociedade.

O que se pretende é que o jogador entenda efectivamente e sinta que o comportamento é errado, que não é aceite nem tolerado pela sociedade e pelo grupo. O jogador Pancc terá oportunidade de ser tratado, de ultrapassar a situação e refazer a sua vida, tanto pessoal como profissionalmente. Os yng Sharks pagarão o tratamento.

Os yng Sharks também serão solidários no apoio às vítimas de assédio virtual, e farão um contributo de igual valor ao que o jogador doar à ONG escolhida. E farão disso prova.

Se no espaço de 4 a 6 meses, o jogador se mostrar recuperado, começará a sua vida do zero e os yng Sharks farão tudo para que, cumprida a sua punição, se trate a pessoa e o jogador de forma igual a todos os outros, interna ou externamente”.

Vimos no Globo Esporte.

VEJA TAMBÉM – Acusado por assédio à menor, jogador de Counter-Strike Pancc diz: ‘errei feio’

LEIA MAIS – Filho de catador de latinhas emociona jogador em partida de Free Fire

Mantendo a sanidade mental em tempos de pandemia. Por Thais Chioqueti, psicóloga

Opinião – Sim, Hideo Kojima é um desenvolvedor de jogos de esquerda. Por Pedro Zambarda

Veja o vídeo da semana acima.

Conheça mais sobre o trabalho do Drops de Jogos acima.

Veja mais sobre a Geek Conteúdo, a produtora da Rádio Geek, parceira do Drops de Jogos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.